Tubarões-baleia em um espetáculo submerso

Deslumbramento é a sensação que se tem ao chegar ao maior dos tanques do Aquário de Churaumi, em Motobu, a poucos quilômetros de Nago. Chamado Kuroshio (corrente negra), tem 36 metros de largura, 10 de profundidade e uma lâmina de acrílico de 60 centímetros de espessura para separar os imensos tubarões-baleia dos visitantes. Por ali também passam arraias-manta, tão graciosas que parecem dançar dentro da água, e centenas de outras espécies marinhas, como se estivessem em seu hábitat.

Yuriko Nakao/Reuters,

06 Fevereiro 2012 | 21h00

Não havia exagero, portanto, na descrição dos folhetos, que o descreviam como um lugar onde se pode ver "o esplendor e o mistério do mar como se estivesse mergulhando nas profundezas do azul cobalto". Em certos trechos, se caminha por baixo do tanque onde vivem peixes de diferentes cores, formas e tamanhos, dando a sensação de que estamos mesmo no fundo do mar. Outros ambientes reproduzem as condições dos recifes de corais e sua fauna.

Churaumi fica no Parque de Exposição Oceânica, no norte da ilha de Okinawa, criado para a Feira Mundial de 1975. Com a contínua perda de visitantes, seus responsáveis resolveram reformá-lo, com a criação de um aquário capaz de atrair turistas de todo o mundo. O nome Churaumi foi escolhido por causa de seu significado no dialeto local: belo mar. Desde sua inauguração, em novembro de 2002, já recebeu mais de 20 milhões de visitantes. /J.J.O

Mais conteúdo sobre:
viagem tubarão Japão Aquário de Churaumi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.