Turquia, Grécia e sul da Itália para um casal de aposentados

Temos tempo livre e gostaríamos de visitar Turquia, Grécia e o sul da Itália, voltando ao Brasil de navio. Que dicas você pode dar? (Rosana e Gilberto, São Paulo)

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

01 Julho 2014 | 02h06

O desfecho que vocês querem acaba determinando a época da viagem. A travessia transatlântica acontece quando acaba a alta temporada de cruzeiros na Europa e alguns navios são reposicionados para a temporada do Brasil.

Partindo da Itália, vocês podem escolher entre o MSC Lirica (partida dia 27 de outubro, de Gênova), o MSC Prezioza (8 de novembro, de Veneza), o MSC Poesia (17 de novembro, de Gênova), o Costa Pacífica e o Costa Favolosa (respectivamente 20 e 24 de novembro, ambos de Savona, perto de Gênova).

Esses cruzeiros são bastante em conta (dá para encontrar passagens em cabine interna desde R$ 1.200 por pessoa), mas vêm com uma pegadinha: a passagem aérea de ida entre o Brasil e a Europa custa praticamente o mesmo que uma passagem ida e volta. O ideal é usar milhas para emitir essas passagens de ida.

Não sei de quanto tempo vocês dispõem, mas, o quanto antes chegarem à Europa, melhor para aproveitar os trechos praianos do itinerário. Eu só manteria Costa Amalfitana e ilhas gregas no roteiro se desse para chegar ainda em setembro. Em meados de outubro lugares como Capri perdem o seu élan; em Mikonos ou Santorini o céu já não estará tão azul quanto no verão. Já a Turquia, a Sicília e Atenas são visitáveis o ano inteiro (desde que não se vá em busca de sol e praia).

Se vocês já começaram a pesquisar o roteiro, devem ter percebido como são complicados os deslocamentos entre uma região e outra. Não há transporte direto - aéreo ou marítimo - das ilhas gregas mais desejadas (como Mikonos e Santorini) à Turquia; tampouco entre Grécia e Sicília. Vou começar sugerindo um roteiro completo, depois mostro como pode ser reduzido.

Voem a Catania, no sul da Sicília. Reservem dez dias para explorar a ilha, dormindo em Taormina, Siracusa e Palermo. O blog DescobrindoaSicilia.com é uma ótima fonte de inspiração.

De Palermo, voem ou peguem um ferry a Nápoles. Durmam duas noites na cidade, para dar um pulinho de trem em Pompeia e Herculano (em dias distintos). Peguem então o barco rápido a Capri, para duas ou três noites. Atravessem de volta a Sorrento; aluguem um carro e montem base em Positano para passear três dias pela Costa Amalfitana. Saiam por Salerno e sigam a Matera, na Basilicata, depois a Alberobello e, finalmente, Lecce, na Puglia. Se der, fiquem duas noites em cada escala.

Devolvam o carro em Brindisi e comprem uma cabine no ferry que faz a travessia a Patras, na Grécia, de onde um trem leva a Atenas. Fiquem três dias por lá e voem a Mikonos. Duas ou três noites, e peguem um ferry rápido a Santorini. Mais duas ou três noites e voem de volta a Atenas. Pernoitem na capital.

No dia seguinte, peguem um voo a Kayseri, na Capadócia, via Istambul. Três dias é o mínimo para explorar a região. Então, peguem um carro alugado e cruzem a Konya, Pamukkale e Kusadasi (Éfeso). Duas noites em cada escala sempre deixam a viagem mais relaxada. Entreguem o carro em Izmir e voem a Istambul, para 5 dias de descanso e encantamento. De Istambul vocês voam para Veneza ou Milão (que fica a 1h30 de trem de Gênova), para pegar o cruzeiro de volta ao Brasil.

Para enxugar o itinerário: se chegarem em meados de outubro, cortem a Costa Amalfitana: depois de Nápoles (tendo visitado Pompeia e Herculano), sigam a Bari de trem, alugando o carro por lá. Tirem também as ilhas gregas (fiquem só em Atenas e, então, voem à Turquia).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.