Um dia como os ricos Courtauld

Não faltam espaços verdes em Londres: há muitos parques no centro e subúrbios, além de jardins reais em volta de palácios maravilhosos, fáceis de chegar e perfeitos para um dia longe do agito. No sudeste da cidade, próximo a Greenwich, fica o Eltham Palace (elthampalace.org.uk), do século 14. O local passou por um período de decadência de 200 anos antes de ser resgatado pelo casal Virginia (conhecida como Ginnie) e Stephen Courtauld, de família rica, dona de uma indústria têxtil. Eles não só recuperaram o lugar, no início do século 20, como construíram uma mansão em estilo art déco com a ajuda de designers de vários países da Europa.

ANA , GASSTON, O Estado de S.Paulo

13 Março 2012 | 03h12

Antes de conhecer o jardim, visite a casa dos Courtauld. O Entrance Hall é recoberto por um domo de vidro e concreto que ilumina naturalmente a sala circular. Repare nos painéis em marchetaria com os prédios favoritos do casal em Florença, Veneza e Estocolmo. E, escondido em um canto, está o Flower Room, onde eram preparados os arranjos de flores colhidas pelo jardineiro da casa.

Ali também fica a escada de bambu que era usada pelo lêmure Mah-Jongg, animal de estimação de Virginia. Mah-Jongg foi comprado na Harrods em 1923 e acompanhou os Courtauld por 15 anos. Seu quarto tem aquecimento central e decoração inspirada nas florestas de Madagáscar. Se o bichinho vivia em tanto luxo, imagine a dona: o banheiro de Ginnie, o mais opulento da casa, mistura os estilos clássico e moderno, última moda em Paris na época, com torneiras e bica de banheira em ouro e estátua da deusa Psique.

Um tour completo pela casa inclui sua ala medieval: o Great Hall, construído em 1470, recebeu pessoas importantes da corte em jantares. O magnífico teto de carvalho superelaborado foi preservado pelos Courtauld, que usavam o espaço como sala de música e festas. Da casa, tem-se uma vista maravilhosa do jardim japonês que fica do outro lado do fosso. É o lugar ideal para fazer um piquenique, ler um livro e tomar sol como os ricos Courtauld até enjoar.

Quem quiser mais privacidade pode ir ao lado oposto do palácio, onde há uma sequência de jardins - os Garden Rooms -, e admirar pequenos lagos artificiais decorados com flores. Dali, avista-se os principais marcos da cidade, como a London Eye. É difícil acreditar que a metrópole está tão próxima.

* É jornalista, paulistana e vive em Londres há 10 anos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.