Um dia entre as muralhas de Tallin

Do centro histórico aos festivais de música, capital da Estônia esbanja charme com preços bem convidativos

Damaris Giuliana / TALLIN, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2010 | 01h56

Um banho de cultura e história entre lindas paisagens, com preços do leste europeu. Tallin, a capital da Estônia, é um nórdico paraíso turístico. Escolhida como capital europeia da cultura em 2011, a cidade pode ser superbadalada, com dias longos e festivais que animam o verão. Ou intimista, durante o frio implacável do inverno.

Charmosa o ano todo, Tallin lota de turistas europeus nos fins de semana. Britânicos e finlandeses se esbaldam em meio aos preços bem abaixo da média. Nem pense em pechinchar na hora das compras: você ganhará inimigos. Até materiais de divulgação trazem a advertência. Também dizem que a maior parte da população fala inglês - nesse caso, erram feio.

Há lojas em que vendedores conversam com a fluência de britânicos. Mas no centro de informações turísticas da cidade antiga a resposta para a pergunta "do you speak English?" foi apenas um não com a cabeça. Aprender a falar "oi" e "obrigado" em estoniano (tere e aitäh, respectivamente) abre muitas portas.

Em suas andanças, explore as riquíssimas livrarias estonianas. Há obras de autores do mundo inteiro - prateleiras para Paulo Coelho, inclusive - e premiados escritores locais traduzidos para diversos idiomas.

Tallin merece ser explorada com calma. Mas se você estiver com pouco tempo, siga nosso roteiro para conhecer os highlights da cidade em um dia.

Manhã. Coloque um tênis confortável para caminhar no centro. A cidade antiga, com arquitetura medieval, é Patrimônio da Unesco e principal atração de Tallin. A rainha-mãe Margrethe da Dinamarca mandou construir as muralhas da cidade em 1265. Ao longo dos séculos, a área foi parcialmente destruída - a última vez, na 2.ª Guerra Mundial. Ainda assim, há muito o que ver. Suas ruas estreitas, de pedra, cheias de rampas que ligam as cidades baixa e alta, reservam surpresas a cada curva. Ali estão prédios seculares bem conservados, museus e o castelo de Toompea, sede do Parlamento.

Entre as igrejas, a Catedral Alexander Nevsky tem o interior decorado com peças banhadas a ouro e raros azulejos. Concluída em 1900, a construção seguiu o modelo russo do século 17. Em seguida, faça uma pausa em um dos muitos cafés e lojas de chocolates artesanais.

O caminho é repleto de lojas de souvenirs, ideais para garantir as lembrancinhas. Trabalhos em madeira estão por todos os lados - miudezas custam desde 3. Prefira as casas menores, de vielas, que vendem itens pela metade do preço daquelas que ficam perto da praça central. As roupas de lã supercoloridas feitas à mão são vendidas nas ruas e têm boa qualidade e preço baixo.

Tarde. Depois de caminhar por toda a manhã, ouça os apelos de seu estômago e pare em um dos restaurantes da cidade antiga. Para entrar no clima medieval, uma boa opção é o temático (e turístico) Olde Hansa, perto da praça principal. Os simpáticos recepcionistas vestem roupas de época para apresentar a culinária do século 15. Depois do almoço, aceite o convite para passar na loja de lembrancinhas.

Já alimentado, ganhe tempo para conhecer os pontos mais distantes nos ônibus de city tour "hop on hop off". São três linhas, que saem do mesmo ponto, no centro, e se cruzam nos terminais do porto. Para subir e descer o dia todo, em qualquer trajeto, adultos pagam 16 - grátis com o Tallin Card.

A linha verde leva a Pirita, praia com extensa faixa de areia clara. A área é também a mais arborizada da cidade: você passará por bosques, parques, pelo Jardim Botânico e as ruínas do convento de Santa Brígida da Ordem de São Salvador.

Lá também fica a torre de televisão, com 314 metros, a construção mais alta da Estônia. Em dias claros, é possível avistar a costa de Helsinque, capital da Finlândia. Em 1991, o monumento foi palco de uma batalha armada entre russos e estonianos que queriam liberdade de imprensa.

Outro legado soviético acessível pela linha verde é o Song Grounds, sede dos eventos musicais que fortaleceram o movimento de independência no país. De 5 em 5 anos, recebe o Festival das Canções, outro Patrimônio da Humanidade.

Noite. Tallin tem um vasto calendário de óperas, balés e shows. Recorra ao guia semanal de atrações culturais, disponível nos centros de informação turística. Se quiser apenas bater papo, ouvir música local e observar o movimento de pessoas de todas as idades, volte à cidade antiga. Os restaurantes funcionam até perto da meia-noite. Depois desse horário, pubs seguem abertos até alta madrugada. A variedade de cervejas é grande e cada casa tem a sua especialidade.

Antes de ir

Audioguia

Por 18, alugue um fone de ouvido com narração em inglês para ser guiado por 4

horas pela área medieval

Tallin Card

O cartão permite entrada gratuita em museus e shows. Preços: de 12 (6 horas) a 32 (72 horas)

Moeda

O euro é aceito, mas o troco vem em coroa estoniana

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.