Um lar em qualquer lugar do mundo

Alugar apartamento de temporada no exterior está mais fácil. Que tal trocar o hotel por uma rotina autêntica?

Ricardo Freire*, O Estado de S.Paulo

17 Março 2009 | 02h13

Ano passado fiz uma longa viagem para revisitar nove cidades essenciais. Passei pelas europeias Londres, Madri, Barcelona, Lisboa, Amsterdã, Berlim, Paris e Roma. Nos Estados Unidos, escolhi Nova York. Na maioria delas fiquei uma semana inteira. Em nenhuma dormi em hotel.

Em cada uma das cidades aluguei um apartamento charmoso pelo preço que me custaria um hotel sem-graça. No lugar dos corredores intermináveis de um hotelão tipo Ibis ou do quarto acanhado de um pequeno duas-estrelas, eu tinha sala de estar, cozinha completa e um molho de chaves.

Fugir do hotel para o apartamento de temporada certamente não é para todo mundo, nem para todo tipo de viagem.

Mas se você pretende permanecer pelo menos cinco dias numa cidade e quer rechear sua rotina de turista com algumas experiências que só os moradores vivem, então o aluguel de apartamento pode mudar o seu jeito de viajar.

 

LONDRES

linkO apê: quarto, sala e cozinha separada. Dois andares de escada. 70 libras (R$ 227)

linkOnde: http://www.nyhabitat.com/

linkO bairro: Bethnal Green, reduto de imigrantes em East London, perto da Brick Lane

linkJolly good: uma ótima base para descobrir as novidades do leste londrino, a parte da cidade que está acontecendo

linkBloody hell: a internet por celular mais lenta do planeta

Vingança

Alugar apartamento é a nossa maior vingança contra o downgrade de hospedagem a que temos sido forçados pela desvalorização do nosso real e pela escalada de preços das diárias dos hotéis.

Nos últimos dez anos, enquanto o preço das passagens aéreas internacionais permaneceu estável em dólares, os hotéis dobraram ou triplicaram de preço, tornando-se o item mais caro para quem planeja uma viagem ao exterior.

Entretanto, a mesma bolha imobiliária que fez explodir as diárias também acabou por fazer surgir um enorme mercado de apartamentos para curtíssima locação.

Graças à evolução da internet e ao aumento do número de sites, apartamentos para alugar no mundo inteiro estão a apenas alguns cliques das suas próximas férias. Acredite: o processo é mais simples do que você pode imaginar.

Nesta reportagem você vai aprender passo a passo como entrar nessa onda que está conquistando os viajantes independentes. Quem sabe na sua próxima viagem internacional você também não vai querer fugir para o aluguel?

 

MADRI

linkO apê: dúplex - sala, cozinha americana e quarto embaixo e um terracinho na cobertura. Elevador. 100 euros (R$ 300)

linkOnde: http://www.rentmadrid.es/

linkO bairro: Malasaña, animado e pouco turístico, a dois passos da Plaza Mayor e da movida de Chueca

linkMe encanta: tomar café da manhã no terraço ensolarado

linkMe mata: a inspeção final foi feita depois da saída e a agência demorou um mês para devolver os 200 euros pagos pela caução, por PayPal

Como funciona

 

Procurar apartamento de temporada em uma cidade do exterior não é muito diferente de procurar um apartamento na sua cidade. É preciso paciência para vasculhar diversas imobiliárias. A diferença é que elas estão na internet, e apresentam suas ofertas em inglês.

 

Os recursos de busca variam de site para site - mas todos mostram fotos e informam localização e preço. Escolhido o apartamento, você precisará preencher um formulário para confirmar se o imóvel está disponível nas datas que deseja.

 

Para fechar negócio é exigido um depósito - que varia entre 30 e 40% do total. A grande maioria das agências aceita cartão de crédito.

 

Algumas poucas, porém, só operam com PayPal, um sistema de transferência de fundos por cartão de crédito muito usado em sites como o eBay. Se esse for o caso, você vai precisar abrir uma conta no site PayPal (http://www.paypal.com/) para continuar a negociação.

 

O depósito normalmente corresponde à taxa da imobiliária. Assim que o pagamento é confirmado, a agência notifica o proprietário do apartamento, que então entra em contato, por e-mail, para combinar os detalhes da sua chegada.

 

O valor restante do aluguel deve ser pago em dinheiro vivo, na entrega das chaves. Dependendo do contrato, o viajante deve deixar também uma caução, que é devolvida na sua saída.

 

BARCELONA

linkO apê: loftzinho moderno num edifício antigo. Dois andares de escada. 100 euros (R$ 300)

linkOnde: http://www.friendlyrentals.com/

linkO bairro: Born, antiga zona portuária que hoje é o Baixo Leblon de Barcelona

linkQué bueno: sair de casa, dobrar uma esquina e estar no lugar mais bacana da cidade

linkQué malo: mesmo com o apartamento desocupado desde a noite anterior, a agência não permitiu o check-in de manhã

 

É seguro?

Não dá para garantir 100% de segurança porque é impossível pôr a mão no fogo por tantos proprietários avulsos. De todo modo, conduzir o processo por uma imobiliária sempre é menos arriscado do que tratar diretamente com o dono. Trocar vários e-mails antes de chegar à cidade - perguntando detalhes, pedindo dicas - ajuda a assegurar que o seu apartamento existe de verdade e estará disponível na data combinada.

 

LISBOA

linkO apê: quarto, sala, cozinha americana e pátio. Um andar de escadas. 85 euros (R$ 255)

linkOnde: http://www.travelingtolisbon.com/

linkO bairro: Príncipe Real, residencial, charmoso e colado ao Bairro Alto, quartel-general da noite lisboeta

linkMuito giro: a localização, num ponto adorável de Lisboa

linkMuito chato: a banda larga tinha sido desinstalada e levamos uma manhã inteira até conseguir instalar uma placa de celular no laptop

 

Quatro conselhos úteis

 

linkEntenda a cidade.Para ter sucesso em sua busca é preciso pesquisar antes sobre a cidade para onde pretende viajar. Uma eventual má localização acaba comprometendo todos os pontos positivos que um apartamento possa ter.

 

Jogue o endereço do apartamento no Google Maps (mesmo que o site não forneça o número exato do prédio) e confira a distância do centro e do metrô.

 

Veja se a linha é interessante consultando a página http://www.urbanrail.net/, que traz todos os metrôs do mundo.

 

linkMais tempo, menor preço. Em muitas agências a diária fica mais em conta a partir de sete dias de permanência. E cai ainda mais se você ficar 14 ou 28 noites. Isso ocorre porque a taxa de intermediação das imobiliárias costuma ter um teto, barateando as permanências mais longas.

 

linkEconomia total. Quer gastar ainda menos? Durma na sala. A economia em relação a hotéis é mais evidente quando você viaja em grupo e aluga um apartamento com sofá-cama na sala. Leve em conta, porém, as consequências de dividir um pequeno banheiro entre muitos ocupantes.

 

linkFique conectado. Internet é mais importante que TV. Prefira apartamentos com banda larga instalada - eles são cada vez mais comuns. Leve um laptop e você vai poder conferir todos os seus trajetos, comprar ingressos e passagens, reservar horários de visita a museus, checar a meteorologia e falar pelo Skype com o pessoal que ficou no Brasil.

 

AMSTERDÃ

linkO apê: a metade de uma casa-barco estacionada no canal Waalseiland. 120 euros (R$ 360)

linkOnde: http://www.amsterdamhouseboat.nl/

linkO bairro: Niewmarkt, um vizinho careta do Bairro da Luz Vermelha

linkLekker!: ver o pessoal dos barcos de passeio olhar curiosos para dentro da nossa casa

linkKak!: precisar ir embora no último dia

 

Curta o slow travel

 

linkDevagar e sempre. Alugar apartamento diminui naturalmente o ritmo da sua viagem. A primeira tarde é perdida no reconhecimento do terreno: é preciso entender todos os eletrodomésticos da casa e sair às compras para estocar a geladeira e o armário.

 

Você vai ficar em casa muito mais tempo do que ficaria normalmente em um hotel - caprichando no café, fazendo uma ou outra refeição ou ainda esperando a chuva passar.

 

linkLonge da fila. Aproveite: esta é a oportunidade que você tem de escapulir da overdose de museus, monumentos e lugares recomendados (pela mídia, pelos amigos) que atormenta nossas viagens.

Todo apartamento de aluguel vem com um anexo fascinante e desconhecido: um bairro. Familiarizar-se com as redondezas é tão interessante quanto destrinchar um museu.

 

Lembra como quase todos os restaurantes e cafés perto de hotéis parecem artificiais e turísticos? Pois todos os restaurantes e cafés perto do seu apartamento vão parecer autênticos.

É provável que você desista de fazer incursões gastronômicas complicadas quando pode resolver tudo perto de casa.

 

linkTransporte vantajoso. Ficando mais tempo numa mesma base você pode comprar passes vantajosos de transporte público, aqueles para usar por vários dias ou mesmo um mês. Pode, por exemplo, espalhar as visitas a museus e monumentos ao longo da estada. Ou concentrar as obrigações em poucos dias, tirando os outros para apenas flanar.

 

linkConheça os arredores. Quer mudar de ares? Pegue um trem e passe o dia numa cidade dos arredores, sem carregar mala nem perder tempo procurando hotel.

 

BERLIM

linkO apê: loft com pé-direito alto e um pátio interno. Térreo. 100 euros (R$ 300)

linkOnde: http://www.all-berlin-aparments.com/

linkO bairro: Friedrichshain, a nova fronteira dos modernos em Berlim Oriental

linkWunderbar: foi o apê mais bonito e bem resolvido da viagem

linkKaputt: a muvuca do bairro é jovem demais e está longe do apartamento. Teria sido melhor procurar em Prenzlauer Berg

 

Pegadinhas na chegada...

 

O momento mais delicado de toda a operação é a chegada. Hotéis têm recepção, sofá, lugar para guardar as malas. Já a sala de espera de um apartamento de aluguel é a calçada ao relento.

 

O check-in se torna, forçosamente, um encontro com hora marcada. Como aviões (e até trens) podem atrasar, normalmente combina-se que o inquilino ligue para o proprietário ou agente assim que tiver chegado e desembaraçado sua bagagem.

 

Para isso você vai precisar levar seu celular (não esqueça de habilitá-lo com sua operadora antes de viajar) ou comprar um cartão telefônico ao chegar - e se entender numa língua estrangeira ao telefone. Fique tranquilo: seu interlocutor está acostumado.

 

Se você pretende usar transporte público para chegar ao apartamento, peça por e-mail instruções detalhadas de todo o percurso.

 

Por exemplo: não basta saber em que estação descer. É preciso saber exatamente qual saída da estação tomar.

 

PARIS

linkO apê: quarto, sala e cozinha num prédio de 600 anos. Três andares de escada. 48 euros (R$ 144) no contrato de 28 dias

linkOnde: http://www.nyhabitat.com/

linkO bairro: Les Halles, num ponto mal-encarado da Rue St. Denis, entre sex-shops e prostitutas sexagenárias, mas perto de tudo

linkTrès bien: os restaurantes sem turistas da Rue Tiquetonne (transversal) e as padarias, queijarias, açougues, peixarias, mercearias e caves da Rue Montorgueil (paralela)

linkTrès mal: o sono leve da vizinha de baixo, que reclamava até do barulho de passos

...e na hora de ir embora

 

Não programe a sua partida para muito cedo ou para a madrugada. Algumas agências se recusam a mandar inspetores antes das 8 horas e você vai ter dificuldade de reaver sua caução.

 

Leia seu contrato atentamente e veja se a luz e o telefone são cobrados à parte. Em caso afirmativo, você vai precisar ter dinheiro trocado para acertar a conta.

 

Se o seu trem ou avião só partir tarde da noite, informe-se antes do dia da partida onde pode deixar as malas. São raríssimas as agências que se oferecem para guardar a bagagem do cliente até mais tarde.

 

ROMA

linkO apê: sala grande, quarto e cozinha separada. Terraço comunitário no topo do prédio. Um andar de escada. 85 euros (R$ 255)

linkOnde: www.vrbo.com

linkO bairro: um canto sossegado do pitoresco Trastevere

linkBravissimo: ouve-se mais italiano do que inglês na vizinhança, uma raridade para o centro histórico de Roma

linkPorca miseria: é preciso passar pela cozinha para chegar ao banheiro

 

Viva o hotel

Você vai sentir saudades de hotel quando:

linkChegar à porta do prédio e a pessoa encarregada de trazer as chaves atrasar

linkSubir três andares de escadas carregando malas

linkPrecisar lavar a louça do café da manhã

linkDescobrir que a toalha não secou desde seu último banho

linkSujar o chão da cozinha

linkChegar exausto de um dia na rua e encontrar a cama desarrumada.

NOVA YORK

linkO apê: estúdio pequeno e clean, com uma cama facilmente disfarçada de sofá. Dois andares de escada. US$ 180 (R$ 420)

linkOnde: http://www.vacationhomerentals.com/

linkO bairro: Chelsea, epicentro da cena gay, fora da rota dos turistas de Midtown e de Downtown

linkAwesome: pós-crise, a diária baixou para US$ 120 (R$ 280)

linkNot so good: os trens expressos não param na estação de metrô mais próxima

Viva o seu apê

Você não vai sentir saudades de hotel quando:

linkEncher a geladeira e a despensa com frutas finas, queijos e vinhos a preços de supermercado

linkNão precisar colocar "Do not disturb" na porta

linkFicar lendo tranquilamente na sua sala em uma manhã gelada e chuvosa

linkBrincar de chef com ingredientes de primeiro mundo

linkChamar uma pizza tarde da noite

linkTiver um pátio, um terraço ou uma varanda a seu dispor sem precisar pagar uma fortuna por isso.

PASSAGEM AÉREA

linkLONDRES

SP-Londres-SP: a partir de R$ 2.348 na British (4004- 4440) e de R$ 2.608 na TAM (4002-5700). Voos diretos

linkMADRI

SP-Madri-SP por R$ 2.006 na Iberia (0--11-3218-7130) e R$ 2.131 na TAM. Voos diretos

linkBARCELONA

O trecho SP-Barcelona-SP, via Madri, custa a partir de R$ 2.036 na Iberia

linkLISBOA

SP-Lisboa-SP por a partir de R$ 2.202 na TAP (0--11-2131- 1210). A TAM faz o mesmo trecho, com escala no Rio, por a partir de R$ 2.457

linkAMSTERDÃ

O trecho SP-Amsterdã-SP custa a partir de R$ 2.393 na KLM (4003-1888), com conexão em Paris

linkBERLIM

A Lufthansa (0--11-3048- 5800) faz o trecho de ida e volta entre São Paulo e Berlim por R$ 3.319, via Frankfurt

linkPARIS

O trecho SP-Paris-SP custa a partir de R$ 2.156 na TAM e de R$ 2.554 na Air France (4003-9955)

linkROMA

SP-Roma-SP por R$ 2.307 na Alitalia (0--11-2171-7610)

linkNOVA YORK

SP-Nova York-SP por R$ 1.820 na American Airlines (0--11-4502-4000) e R$2.246 na TAM

 

*Ricardo Freire é colunista do Guia do Estadão e autor do livro 100 Dicas para Viajar Melhor (Editora Globo, 205 págs., R$ 12,50)

Mais conteúdo sobre:
Viagem lar doce lar apê

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.