Um olhar Michelin sobre o Rio

Estado é tema da nova edição do guia, conhecido como 'bíblia' do turismo

Lucinéia Nunes, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2009 | 05h18

Livrarias de mais de 90 países começam a vender nesta semana o Guia Verde Michelin Rio de Janeiro, o primeiro da série dedicado a um Estado da América do Sul. Com 288 páginas, o volume vem recheado de dicas de hotéis, restaurantes, museus, praias, pontos históricos e passeios imperdíveis na capital fluminense e em outras cidades turísticas da região.

O roteiro inclui, claro, as atrações mais famosas, como Cristo Redentor, Pão de Açúcar e Copacabana. E há ainda sugestões não tão óbvias como o Sítio Burle Marx, em Guaratiba, e a vista a partir do Pico do Papagaio, em Ilha Grande. Outro destaque é a valorização da zona oeste da cidade do Rio, pela natureza exuberante e pelo conteúdo histórico.

Dos mais de cem pontos turísticos recomendados, 20 receberam a cotação máxima de 3 estrelas. "Escolhemos o Rio por ser um destino para todo tipo de viajante", disse o chefe mundial da linha Produto Mapas e Guias Michelin, Christian Delhaye, durante o lançamento oficial na Embaixada do Brasil em Paris, onde estiveram o governador Sérgio Cabral e o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Para elaborar o guia, a pesquisa foi realizada por uma equipe de redatores - ingleses, franceses e brasileiros - que passou mais de um mês conhecendo ou revendo a cidade. Um outro guia sobre o Rio, lançado pela Michelin em 1991, também serviu de base. A diferença do antigo volume para o atual é que o primeiro foi feito para o público brasileiro e o novo, em inglês, para turistas de todo o mundo, dos mochileiros aos que querem mais sofisticação.

"Para atender o viajante moderno, que busca conselhos e dicas para fazer tudo em menos tempo, o guia está mais objetivo e concentrado", disse Delhaye.

Dividido por bairros ou cidades turísticas como Niterói, Petrópolis, Paraty, Búzios e Angra dos Reis, o Michelin Rio traz 11 mapas e indicação dos meios de transporte. Reúne, ainda, informações sobre a história do Rio, sua arquitetura, arte, culinária e costumes, além de um calendário com os principais eventos e festas, como carnaval e réveillon. Tudo acompanhado de instruções precisas e belas fotos.

A primeira tiragem do Guia Verde Michelin Rio, com 10 mil exemplares, estará à venda por US$ 19,99 (R$ 36). A previsão é de que, em maio de 2010, uma versão em francês chegue também às livrarias.

Viagem feita a convite da Michelin Brasil

PARA ANOTAR

Além de atrações, o guia dá dicas de segurança e comportamento aos forasteiros. Veja algumas:

linkNas praias, as mulheres usam biquínis invisíveis, mas é proibida a prática de topless

linkLeve apenas cópias de seus documentos e anote o número de seu passaporte

linkNos quiosques da Praia de Copacabana, sente longe do fluxo de vendedores ambulantes e, se quiser tirar fotos, seja rápido

Cristo Redentor | Os 710 metros de altura do Corcovado proporcionam a vista do Rio já consagrada em cartões-postais. Indispensável para os visitantes. É possível subir parte do morro de carro e, em seguida, embarcar na van que leva os turistas até os pés do Cristo Redentor. Para quem não tem pressa, o ideal é ir de trem - há saídas a cada meia hora. O trajeto de 3,8 quilômetros é feito entre jardins temáticos, com flores exóticas e árvores frutíferas. O custo da viagem é de R$ 36 (ida e volta). O serviço funciona entre 8h30 e 20 horas. Endereço: Rua Cosme Velho, 513. Tel.: (0--21) 2558-1329.

Floresta da Tijuca | Boa parte dos 3.200 hectares de mata atlântica da reserva é resultado de um reflorestamento ordenado pelo imperador d. Pedro II, no século 19. A floresta tem trilhas, quedas d"água e paredões de escalada, além de opções de alimentação. Fica no Alto da Boa Vista. Informações: (0--21) 2492-2252.

Ipanema | A orla e o bairro de Ipanema formam o trecho mais democrático do Rio. Na areia, cada grupo - modernos, famílias com crianças, esportistas - encontra seu trecho. O fim da tarde é reservado para o espetáculo do pôr do sol no Arpoador. Vários bares e restaurantes, além do Espaço Cultural Laura Alvim (0--21- 2332-2016), garantem o movimento noturno.

MAM | Belezas naturais se impõem na paisagem do Rio, mas a cidade tem um ótimo Museu de Arte Moderna (MAM), com acervo de 11 mil peças. Há obras de Jackson Pollock, Di Cavalcanti e outros. No Parque do Flamengo, das 12 às 18 horas (19 horas nos fins de semana). Tel.: (0--21) 2240-4944.

Paraty | Paraty, a 255 quilômetros do Rio, tem uma colorida e festiva alma própria. Entre os casarões coloniais transformados em estabelecimentos comerciais e opções de hospedagem, turistas do mundo todo circulam em busca dos ateliês e das típicas cachaçarias. Cafés lutam para equilibrar mesas e cadeiras do lado de fora, nas ruas de pedra - alagáveis na maré alta. Localizada no fundo de uma baía, a cidade permite uma série de deslumbrantes passeios de barco pelas ilhas e praias do entorno. Além de ter opções de ecoturismo: trilha por trechos da Estrada Real e paradas em cachoeiras. Informações: (0--24) 3371-1222.

Parque Itatiaia | Aficionados por escalada se sentem em casa no Itatiaia: o Pico das Agulhas Negras, oitava montanha mais alta do País, é o desafio número 1 do parque. Iniciantes optam pelos trekkings na parte baixa da reserva, com cachoeiras e um mirante. A entrada custa entre R$ 3 e R$ 12. Telefone: (0--24) 3352-1461.

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura guia Michelin Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.