Um porto do século 19 congelado no tempo

Um porto do século 19 congelado no tempo

Porto importante até o fim do século 19, Hoi An congelou no tempo em que o Rio Thu Bo assoreou, fazendo com que a cidade perdesse importância. Não fosse isso, talvez a arquitetura não estivesse tão bem preservada. Nos anos 1990, a cidade voltou a entrar no mapa dos viajantes - agora, turistas.

HOI AN, O Estado de S.Paulo

23 Julho 2013 | 02h19

No centro antigo, as casas de mercadores japoneses, templos chineses e antigas casas de chá foram convertidas em lojas, restaurantes e alfaiatarias. Tudo decorado com lanternas coloridas, que se acendem ao entardecer. Não é de se estranhar, portanto, tratar-se de um Patrimônio da Unesco.

As tais alfaiatarias são uma tradição local e se gabam de fabricar vestidos de gala, ternos ou qualquer outro tipo de roupa do dia para a noite. Encomendar algo nessas lojas é parte do passeio turístico. O valor do modelo, que pode ser "inspirado" em uma peça de grife, vai depender do tecido escolhido e do poder de barganha de cada cliente.

Depois de encomendar a sua, vá conferir o teto repleto de incensos espiralados do centro da comunidade cantonesa e chinesa, construído em 1786. Ao fundo, um pequeno pátio esconde a fonte em forma de dragão, decorada com mosaicos coloridos que lembram Gaudí. Outra atração é a ponte japonesa de 1593, um dos ícones de Hoi An.

Aqui vale uma ida à praia. An Bang, considerada uma das melhores do país, tem vários pequenos restaurantes que oferecem frutos do mar, comida asiática e ocidental, além de confortáveis cadeiras e camas para uma soneca. Aproveite para caminhar pela larga faixa de areia branca e observar os pescadores, que tecem suas redes dentro de curiosos casulos de palha. /A.P.

Mais conteúdo sobre:
Viagem Vietnã Hoi An

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.