Um pulinho nas missões argentinas e paraguaias

Pertinho de Foz do Iguaçu existem missões jesuíticas que, ao lado de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul, são classificadas como patrimônio da humanidade da Unesco. Se você tem dois dias disponíveis, vale a escapada.

Ricardo Freire, O Estado de S. Paulo

27 Outubro 2015 | 07h38

Trinidad e Jesús, Paraguai

A 30 quilômetros de Encarnación, La Santísima Trinidad de Paraná oferece uma excelente ideia de como funcionavam as missões jesuíticas no Novo Mundo. A igreja conserva parte da fachada, algumas colunas da nave e a parede de trás do altar. A sacristia, coberta, funciona como um museu para os achados das ruínas: anjos e santos com feições mais guaranis do que europeias.

 

Jesús de Tavarangüé está a 10 quilômetros de Trinidad. A igreja ostenta as paredes mais altas de toda a região missioneira. Vivi ali um momento singular: durante meia hora, fui o único visitante de um patrimônio da humanidade da Unesco. Quando dei por mim, estava assoviando o tema de A Missão, de Enzo Morricone, a plenos pulmões.

Como chegar. Encarnación está a 290 quilômetros (5 horas de ônibus) de Ciudad del Este. Pela Argentina, são 300 quilômetros (também 5 horas de ônibus) entre Puerto Iguazú e Posadas, de onde um ônibus urbano leva a Encarnación. A melhor maneira de visitar as ruínas é negociando com um taxista paraguaio, na fronteira: por 250 mil a 300 mil guaranis (US$ 50 a US$ 55), você visita as duas missões.

Onde ficar. O hotel Grand Crucero Express (grandcrucero.com), em Posadas, está a uma quadra e meia de uma parada do ônibus internacional que leva a Encarnación.

San Ignacio Miní, Argentina

San Ignacio Miní (em português, chamaríamos de Santo Inácio Mirim) é uma redução jesuítica bastante restaurada e muito bem mantida. De dia, não é tão impactante quanto Trinidad - mas seu espetáculo de som, luzes e imagem é fantástico, porque usa holografias para reconstituir a vida na missão. Por isso, mesmo sendo possível ir e voltar de Foz no mesmo dia, o pernoite é imprescindível. Um pouco mais adiante, as ruínas de Loreto não valem a pena: os resquícios da missão são tão tênues que só interessam a entendidos em arqueologia e história.

Como chegar. San Ignacio está a 240 quilômetros de Puerto Iguazú (4 horas de ônibus). Se preferir ir de carro, alugue em Puerto Iguazú, para evitar problemas com seguro (as locadoras de Foz só permitem levar seus carros até as Cataratas argentinas).

Onde ficar. O Adventure Hostel (sihostel.com) tem também quartos privativos e está a 15 minutos de caminhada das ruínas. 

Mais conteúdo sobre:
Ricardo Freire Argentina Paraguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.