Um trem de luxo para desbravar o Paraná

O Great Brazil Express percorre cerca de 500 km entre Ponta Grossa e Cascavel; não há, porém, cabines para pernoite nem vagão-restaurante

Julia Contier, O Estado de S.Paulo

10 Junho 2008 | 03h08

O champanhe começa a ser servido às 9 horas aos turistas instalados em vistosas poltronas de couro estofadas com penas de ganso. Volta e meia, os comissários de bordo oferecem comidinhas para enganar a fome. Pela janela - emoldurada com cortinas de seda -, corre a paisagem do interior do Paraná. A rotina será mais ou menos essa nos próximos 500 quilômetros da viagem entre Ponta Grossa e Cascavel a bordo do Great Brazil Express, primeiro trem turístico de luxo do País - outras tentativas sobre trilhos, como o Trem de Prata (veja na próxima página), não eram exclusivamente para turistas.   Veja também:Em outros tempos, a elegante rota Rio-SPA viagem inaugural, em 22 de maio, foi restrita a empresários e jornalistas de sete países, incluindo o Brasil. A partir deste mês, o roteiro passa a ser regular e o alvo são os visitantes estrangeiros - mas pode-se dizer que os brasileiros também vão se surpreender.O trem, porém, é apenas uma parte do roteiro, de oito ou dez dias, que começa no Rio, termina em Foz do Iguaçu e inclui trechos de avião (do Rio a Curitiba) e de ônibus (de Curitiba para Ponta Grossa e, de lá, para um minicircuito entre Tibagi e Castro). No fim dos trilhos, em Cascavel, os viajantes voltam para o ônibus e vão até Foz do Iguaçu. Parece cansativo - e é -, mas pode ser bem divertido.DETALHESCerca de R$ 2 milhões foram investidos para restaurar os dois vagões de passageiros, com 22 lugares cada, com decoração inspirada na fauna e na flora brasileiras. Além das poltronas de couro, há sofás adquiridos em antiquários.No teto da litorina Foz foram pintados coqueiros e nas paredes há reproduções de gravuras de Debret. No vagão Copacabana há mais sobriedade: a estampa é em preto e branco, inspirada no calçadão mais famoso do Rio, e os quadros trazem reproduções do artista Rugendas. Quem estiver longe da janela não perde a paisagem, transmitida em monitores de LCD.Apesar do alto investimento inicial e do cuidado nos detalhes, o projeto ainda engatinha no segmento luxo. As estações, por exemplo, são improvisadas. Também não há vagão-restaurante - as refeições são feitas nas paradas - nem cabines para pernoite. Os turistas têm de dormir em Guarapuava, no meio do caminho.Para uma eventual fome durante a tarde, há um cardápio em inglês e português com quiches, croissants, docinhos e frutas. Cada vagão tem ainda um bar bem abastecido .Os comissários de bordo são poliglotas e se especializaram no jeito brasileiro de servir, ou seja, a simpatia dá o tom. Eles procuram fazer amizade com os passageiros e ambientam os vagões com trilha sonora brasileira - o que fez a empresária belga Sandrine de Crom, de 30 anos, arriscar seus primeiros passos de samba. Sandrine veio conhecer o trem para oferecê-lo como presente aos funcionários do banco onde trabalha .Outro que se empolgou com a viagem foi o belga Kurt Heidbreder, já fisgado pelas paisagens brasileiras. Ele embarcou no Great Brazil para fazer um ensaio fotográfico do roteiro.RECEPÇÃOAs paradas, nas cidades de Irati e Guarapuava, foram verdadeiros acontecimentos. Os viajantes eram recebidos com entusiasmo pelos moradores. ''Estou muito contente com a recepção'', comenta o holandês Jasing Chu, gerente de Marketing e Vendas da Great Brazil. ''As pessoas estão surpresas com o trem, e isso é ótimo.'' Chu acredita que esse tipo de turismo no País tende a aumentar a partir de agora.Planos não faltam. A Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste) já pensa em aumentar a linha férrea no Estado. Segundo o diretor-presidente da empresa, Samuel Gomes, além dos 248 quilômetros (trecho de Guarapuava a Cascavel) de linha construídos para esse projeto, a empresa pretende ligar Cascavel a Foz do Iguaçu. No futuro, a proposta é levar os trilhos até o Paraguai.Serviço: BWT Operadora (operadora oficial no Brasil): www.bwtoperadora.com.br; www.greatbrazilexpress.com; (0--41) 3323-4007. O pacote de dez dias entre o Rio e Foz custa R$ 7.763,25 por pessoa, em acomodação dupla (válido até o fim do mês). O valor sobre para R$ 8.181,25 entre julho e agostoViagem feita a convite do Great Brazil Express

Mais conteúdo sobre:
TREM DE LUXOPARANÁVIAGEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.