Uma bela ajuda dos universitários

Tartu não tem a muralha nem a quantidade de construções medievais de Tallin. Mas a segunda maior cidade da Estônia também guarda um centro histórico charmoso e uma noite animada - graças aos alunos da universidade local, a mais antiga do país, fundada em 1632. Estima-se que sejam 22 mil estudantes em uma população de 100 mil habitantes.

TARTU, O Estado de S.Paulo

12 Agosto 2014 | 02h06

O Rio Emajõgi corta a cidade, emprestando a Tartu uma aura bucólica. Na Raekoja Plats (a praça da prefeitura), o cartão-postal: a estátua de dois apaixonados que se beijam sob um guarda-chuva. Dizem que, para selar a paixão, é preciso beijar sua cara-metade em frente à estátua... Mas há outros motivos para conhecer Tartu. Confira alguns deles, abaixo.

Parque Toomemägi - Pertinho do centro histórico, o complexo guarda as ruínas de uma igreja gótica, esculturas de personalidades do país e prédios importantes como o Observatório de Tartu. Criado em 1805, é um ótimo passeio em dias ensolarados.

Centro de Ciência Ahhaa - Ver sem tocar? Esqueça. No Ahhaa, tudo o que está exposto é para ser tocado, experimentado, descoberto, fotografado. Em uma das instalações, descobre-se como ocorrem as marés. Em outra, você faz chover e molda a geografia de ilhas e vulcões. Dá para pedalar em um cabo de aço suspenso sobre o museu ou se transformar em esqueleto. Crianças e adultos se divertem igualmente - se jogue. Adultos pagam 12 e crianças, 9. Há ainda o providencial ingresso-família, que inclui até dois adultos e crianças ilimitadas por 26 euros.

Jardim Botânico - Como muitas outras construções importantes do centro de Tartu, o Jardim Botânico pertence à universidade. Fundado em 1803, tem 3,5 hectares e mais de 8 mil espécies de plantas. A entrada para o jardim é gratuita; para explorar também as estufas, paga-se 3 euros.

Museu do Brinquedo - Uma ursinha de pelúcia com saia de estampa típica da Estônia é o símbolo do museu, que conta  ainda com bonecas de pano e de porcelana, cavalinhos, carrinhos... O acervo reúne especialmente brinquedos antigos do país, mas certamente você vai se identificar com muitos deles. Há uma brinquedoteca e um teatro de  marionetes - o que, aliás, é uma tradição no país. / ADRIANA MOREIRA

Extras: 

> Apesar de ter passado anos sob o domínio soviético, a Estônia pouco se identifica com a Rússia. Há mais  compatibilidade cultural com a Finlândia e o idioma também é similar - algo como português e espanhol

> Em muitas áreas da Estônia, durante a ocupação russa, era comum doarem terras a quem se declarasse cristão ortodoxo. Ainda assim, 54% dos estonianos não têm religião; 14% são luteranos e apenas 13%, cristãos ortodoxos

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.