Uma jornada mais do que especial

Nosso sempre poético viajante britânico está, como era de se prever, na capital da Baviera, onde participou da tradicional Oktoberfest, que ele define como "uma espécie de campeonato mundial de ingestão de cerveja cujos vencedores nunca estão sóbrios para comemorar sua conquista". O evento de Munique terminou no domingo, dia das eleições aqui no Brasil. Mr. Miles, que nos escreveu antes de conhecer os resultados, disse esperar que seus amigos brasileiros tenham votado com consciência. A seguir, a pergunta da semana.

O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2014 | 02h06

Querido mr. Miles: quero compartilhar consigo minha alegria e minha ansiedade. Tenho dois filhos (um rapaz e uma moça) que vão estudar fora do País no ano que vem. Resolvemos então, meu marido e eu, fazer uma grande viagem de carro pela Europa com as crianças (que, é claro, não são mais crianças). Acho que esta será a última viagem que faremos juntos, os quatro - e a primeira pela Europa. Mais tarde, eles seguirão seus próprios caminhos. Alguma recomendação especial?

Sonia Marzagão, por e-mail

"Well, my dear: o próprio enunciado de sua pergunta já me enterneceu. Não sou, as you know, um cidadão atrelado ao conceito mais comum de família. A minha não cresceu junta, não viveu em uma mesma casa, não compartilhou crises e conquistas. Meus irmãos, afilhados, compadres, avôs e filhos vivem espalhados mundo afora, e é para vê-los com frequência que viajo tanto.

Ouso supor que a sua família é dessas bonitas e unidas, como as que aparecem nos comerciais de margarina. Vocês devem ter superado boas e más fases como todos nós. Na proximidade da inevitável separação a que a vida conduz, optaram por fazê-lo da melhor maneira.

A viagem que você anuncia, my dear, é, além de tudo, um lindo ritual de passagem. Seu pequeno grupo vai conhecer lugares, paisagens, pessoas, aromas e sabores. However, vai conhecê-los ou reconhecê-los de uma perspectiva emocional única, em que cada passageiro estará, ao mesmo tempo, olhando pela janela do carro e para dentro de si.

Haverá, I presume, um monte de coisas começando e acabando ao mesmo tempo. O núcleo familiar não voltará a ser como era. Vocês deixarão de compartilhar cada pequena informação sobre o filme que viram, o livro que estão lendo, o preço das frutas na feira and so on.

Nevertheless, cada um de vocês quatro terá, dessa viagem em diante, uma nova história para construir. Meu modesto conselho é no sentido de que, em nenhum momento e em nenhum lugar, vocês deixem o mistério do futuro obnubilar a alegria do presente. Yes, I know: haverá sempre o orvalho da saudade antecipada umedecendo levemente a jornada. On the other hand, por possuir essa carga emocional, é provável que essa seja a viagem de suas vidas. A comida vai lhes parecer mais saborosa, os parques, mais verdes, os monumentos, mais limpos e as montanhas, mais altas. Aposto que as rolhas dos vinhos que vocês desfrutarem juntos nesse périplo cheio de simbolismo vão ser colecionadas.

E nenhuma outra viagem será tão fotografada. Ou os filhos, ou os pais, ou todos juntos, com o auxílio de um transeunte cordial. Espero, as well, que vocês riam às gargalhadas dos seus clichês de família (todas têm!) e não se esqueçam de ficar com os olhos rasos d'água nos momentos adequados. Have a nice journey, Sonia. Há grande probabilidade de ela ser a melhor de suas vidas."

É O HOMEM MAIS VIAJADO DO MUNDO.

ELE ESTEVE EM 183 PAÍSES E

16 TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.