Uma nova forma de ver o Pantanal

A partir de maio, trem turístico vai percorrer 220 quilômetros entre Campo Grande e Miranda

Lucas Frasão, O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2008 | 02h41

Pela janela, araras-azuis e jacarés escondidos em terrenos alagadiços. Bons motivos para embarcar no Trem do Pantanal, cujos trilhos vão cortar um dos ecossistemas mais ricos do mundo, entre Campo Grande e Miranda, no Mato Grosso do Sul, a partir de 8 de maio. Até 1996, esses mesmos trilhos conduziam os passageiros em uma viagem desconfortável até Corumbá. Ali, faziam uma conexão para o chamado "trem da morte", na Bolívia, que atravessa os Andes até Santa Cruz de La Sierra. Agora, no entanto, os viajantes encontrarão vagões novos e poltronas confortáveis, tanto na categoria econômica como na turística e na executiva. O roteiro deverá trazer novos ares para o turismo da região. Isso apesar de apenas 80 dos 220 quilômetros totais estarem de fato em área de Pantanal - o trecho restante percorre o interior sul-mato-grossense. Cerca de 400 turistas poderão embarcar nos nove vagões do novo Trem do Pantanal a cada fim de semana. O grupo partirá de Campo Grande rumo à cidade de Miranda. No caminho, uma pausa em Piraputanga e outra maior em Aquidauana, para o almoço. O passeio segue em marcha lenta: são sete horas de viagem a uma velocidade média de 35 quilômetros por hora. No ponto final, os passageiros pernoitam em hotéis. Os valores das passagens ainda não foram definidos, mas haverá pacotes vendidos pela operadora oficial BWT. Se o prazo para a revitalização dos trilhos for cumprido, a viagem do Trem do Pantanal poderá ser prolongada até Corumbá já no fim do próximo ano. PARCERIA O projeto foi anunciado há pouco mais de um mês, no Rio, durante a Feira das Américas, promovida pela Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav). Para deixar de lado o transporte cargueiro e voltar a levar turistas, o Trem do Pantanal recebeu investimentos de cerca de R$ 2 milhões. A iniciativa representa uma parceria do governo do Mato Grosso do Sul com a América Latina Logística e a Serra Verde Express - que ficará com a operação turística. A empresa já opera o luxuoso Great Brazil Express, lançado em junho de 2007, que vai de Curitiba a Foz do Iguaçu, no Paraná, além do tradicional passeio de trem entre Curitiba e Paranaguá, passando por Morretes. Serra Verde Express: www.serraverdeexpress.com.br BWT Operadora: www.bwtoperadora.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.