Uma questão de tempo

Nosso pontualíssimo viajante, tão habituado a mudar os ponteiros de seu relógio quanto a fazer sua higiene pessoal, estranhou a quantidade de e-mails que recebeu comentando o início do horário de verão em grande parte do Brasil. Muitos deles, como sempre ocorre, comemoravam o advento de dias mais longos. Outros lastimavam alterações em seus relógios biológicos, que lhes trouxeram insônia, mal-estar e dores de cabeça. Mr. Miles, é claro, aproveitou para discorrer sobre o tema.A seguir, ele responde à carta da semana:Mr. Miles: gosto muito da mudança de horário que ocorre nesta época do ano. Todos os países mudam de horário no mesmo período?Soraya Tencini Alves, por e-mail"Well, my dear, vejo que você não está muito afeita a esse tema e terei o maior prazer em tecer algumas digressões sobre ele. O horário de verão, que aqui chamamos de daylight saving time, é uma liberalidade de cada nação e parte delas o adota com o objetivo de reduzir o consumo de energia. Há países, sobretudo os que ficam mais perto da linha do Equador, onde uma alteração dessa não produz a menor diferença. Eu diria, besides, que o horário de verão é uma mera manipulação do fuso horário - aliás, também desrespeitado ao bel-prazer por alguns governos, apesar dos acordos de Tempo Universal Coordenado, baseados na óbvia evidência de que a hora de referência do planeta é a de Greenwich, um bairro muito pontual aqui da minha Londres.Theoretically, my dear, os horários foram estabelecidos para se ajustar aos períodos de incidência da luz do sol ou do brilho das estrelas. Therefore, seja onde for, entre 18 e 19 horas, meu aparelho consumidor de scotch apita, dando início aos trabalhos etílicos. Na China, however, o governo central decidiu desprezar as evidências luminosas e, apesar da extensão longitudinal do país, cravou um horário único nacional, conveniente aos pequineses. Eis que os habitantes do oeste do país - my friends in Ruoqiang ou Kashi - acompanham o nascer do sol por volta das 9 ou 10 horas. Isn?t it crazy?Você certamente não sabe também, darling, mas a diferença de fuso entre os países nem sempre é baseada em horas cheias. Vou lhe dar alguns exemplos: a província de Newfoundland, no Canadá, fica, usually, apenas meia hora à frente do horário de Brasília. Com o horário de verão, eles agora estão meia hora atrás de vocês. Já comparando horários normais (que um amigo meu insiste em chamar de ?hora de Deus?), a Austrália está 12h45 adiantada em relação ao Brasil. Ou seja: meio dia mais meia partida de futebol. Easy to remember, isn?t it? O caso mais curioso de que me lembro, ainda que de uma precisão notável, é o do fuso horário adotado em Bombaim até 1951. Até aquele ano, quem fosse para lá a partir de Londres era obrigado a adiantar o relógio em exatas 4 horas e 51 minutos para adequar-se à realidade local, que divergia em 39 minutos do chamado Indian Standard Time. Aliás, vítima desse minuto extra, recordo-me que, certa vez, atrasei exatos 60 segundos para um chá com Rudyard Kipling. Shame on me!" * Mr. Miles é o homem mais viajado do mundo. Ele já esteve em 132 países e 7 territóriosultramarinos. É colunista e conselheiro editorial da revista ?Próxima Viagem?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.