Uma só Sarajevo

Sarajevo é sacra. Praticamente em uma mesma rua é possível encontrar uma sinagoga, uma mesquita, uma igreja católica e uma ortodoxa (quando não várias de cada). Sarajevo não é santa. A diversão noturna atravessa a madrugada com balada para variados gostos e estilos. Brincar entre o sagrado e o profano é uma opção de roteiro interessante na cidade, já que dá para fazer os dois. Da central Bascarsija, são apenas dez minutos de caminhada até toda a diversidade de templos religiosos. Na margem sul do Rio Miljacka, que corta a cidade em duas partes, fica a Sinagoga de Sarajevo, que já foi museu e atualmente é a única em funcionamento. Antes da Segunda Guerra, era mais uma entre as 15 existentes. A região ao norte do rio é a mais movimentada e por ali dá para ouvir o muezzin entoando o canto que convoca para as preces e ver as ?Rosas de Sarajevo?: buracos abertos por morteiros na guerra, preenchidos por resina vermelha para indicar onde cidadãos foram mortos.Entre as mesquitas, uma das mais bonitas é a Ali-Pasha, de 1560, e há poucos anos parte da lista nacional de monumentos da Bósnia-Herzegovina. Outras são a mesquita do Imperador, de 1560, e a Gazi Husref-bey, de 1530. Já a Catedral Ortodoxa foi construída entre 1863 e 1868, por iniciativa dos cidadãos de Sarajevo. Pouca coisa mais nova, a Catedral Católica foi levantada de 1884 a1889, com elementos de estilos gótico e romano. Mais tarde, a diversão é outra. Em direção ao rio, o Bock (bock.ba) é ponto de encontro mais independente. Ali perto, o Club (theclub.ba) recebe moradores endinheirados. O mais hype de todos é o clube so.ba (soba.ba). Antes na margem do rio, fica embaixo de prédios comerciais e é a balada de estudantes e artistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.