Marina Della Valle
Marina Della Valle

Vai viajar para Dubai ou Haifa? Saiba quais cuidados tomar

Ameaça de guerra entre EUA e Irã aumentou a tensão em relação a viagens ao Oriente Médio, mas nem todos os destinos da região exigem cautela; confira

Pedro Marques, Especial para o Estado

10 de janeiro de 2020 | 11h00

Desde que os Estados Unidos lançaram o ataque que resultou na morte do general iraniano Qassim Suleimaini e levou a uma escalada nas tensões no Oriente Médio, várias dúvidas pairam sobre o turismo e as viagens para a região – principalmente depois que o Irã ameaçou atacar as cidades de Dubai (Emirados Árabes Unidos) e Haifa (Israel) caso os EUA voltem a atacar o país persa e da queda de um Boeing da Ukraine International Airlines, nesta semana. 

Para saber se é necessário adiar os planos e quais as orientações para quem já está em algum desses países, entramos em contato com o Ministério das Relações Exteriores e a Global Rescue, empresa com sede no Líbano especializada em emergências médicas, remoção de pessoas e gerenciamento de risco. 

​O que diz o governo brasileiro? 

Segundo o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, os únicos países da região que devem ser evitados são Iraque e Síria, por causa dos confrontos recentes com extremistas islâmicos. Na maioria dos outros casos, é preciso ter “alto grau de cautela”. 

Já para a Global Rescue, a recomendação é evitar viagens ao Oriente Médio. “Há riscos de ataques a cidadãos ocidentais, independentemente da nacionalidade, por indivíduos ou grupos simpáticos ao Irã, especialmente nas proximidades de manifestações”, afirma o CEO da Global Rescue, Dan Richards. Funcionários de empresas ocidentais multinacionais que atuam no Oriente Médio devem redobrar a atenção. 

“Quem já está na região deve providenciar um telefone ou meio de comunicação, evitar viajar sozinho, manter discrição e se manter afastado de todos os protestos”, acrescenta Richards. Caso o viajante presencie distúrbios e confrontos, ele deve deixar a área imediatamente ou procurar abrigo até a situação se normalizar.  

Quais documentos levar? 

Via de regra, é essencial ter cópias autenticadas do documento de identidade e certidão de nascimento, além de cópia simples do passaporte. As cópias facilitam a emissão de um novo passaporte, se necessário. Alternativamente, quem estiver retornando ao Brasil pode solicitar uma Autorização de Retorno ao Brasil, cuja emissão é mais rápida e barata. 

Quem posso procurar no Brasil? 

O Núcleo de Assistência a Brasileiros (NAB) é a área do Itamaraty responsável pelos casos envolvendo cidadãos brasileiros no exterior (como repatriações, prisões, hospitalizações, falecimentos, desaparecimentos, inadmissões, etc.). 

Telefone: (61) 98197-2284 

E-mail: dac@itamaraty.gov.br 

Quem procurar no exterior 

Emirados Árabes Unidos 

O país recebe mais de 21 milhões de turistas anualmente, segundo dados oficiais. Apesar da ameaça do Irã de atacar Dubai, o Itamaraty afirma que as viagens à cidade e ao país devem seguir os cuidados normais de segurança. A Emirates, principal companhia aérea local (que tem voos diretos entre São Paulo e Dubai) mantém os voos normalmente. Em 8/1, a empresa cancelou os voos para o Iraque.  

Embaixada do Brasil em Abu Dhabi: (971) 50 668 3258 

Irã 

Mesmo antes da tensão entre os EUA e o país persa, o Ministério das Relações Exteriores já recomendava que as viagens fossem feitas com alto grau de cautela. Em caso de emergências, é possível entrar em contato com a representação diplomática brasileira no país. Por causa do conflito, Air France-KLM, Emirates e Lufthansa cancelaram voos ao país, enquanto outras companhias aéreas estão evitando o espaço aéreo iraniano. 

Embaixada do Brasil em Teerã: (98) 912 148 5200 

Iraque 

De acordo com o Itamaraty, viagens ao país devem ser evitadas. No caso dos brasileiros em território iraquiano, eles devem comunicar sua presença à Embaixada local e permanecer o menor tempo possível no país. Por causa do conflito, Air France-KLM, Emirates e Lufthansa cancelaram voos ao país, enquanto outras companhias aéreas estão evitando o espaço aéreo iraquiano. 

Embaixada do Brasil em Bagdá: (964) 771 4495490 

Israel 

A diplomacia brasileira orienta “alto grau de cautela” em viagens ao país do Oriente Médio. Além disso, áreas como a Faixa de Gaza, as Colinas de Golã e a fronteira com o Líbano devem ser visitadas com atenção redobrada ou evitadas. Os voos da Latam saindo de Guarulhos com destino a Tel-Aviv, capital do país, não foram alterados. 

Embaixada de Israel em Tel-Aviv: (972) 54 803 5858 

Líbano 

Também requer “alto grau de cautela” e o viajante deve estar preparado para uma rápida escalada de eventuais conflitos, que podem levar a dificuldades de movimentação, inclusive para chegar ao Aeroporto Internacional de Beirute. 

Embaixada do Brasil em Beirute: (961) 70 108374 

Síria 

Como no caso iraquiano, viagens ao país devem ser evitadas. “Embora se perceba melhoria das condições gerias de segurança na Síria, o estado de guerra persiste”, informa a chancelaria. Viajantes brasileiros devem ficar o mínimo de tempo possível em território sírio. 

Embaixada do Brasil em Damasco: (+963) 11 612-455 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.