Fernando Victorino/Como Viaja
Fernando Victorino/Como Viaja

Viagens virtuais em experiências cada vez mais realistas

CONTEÚDO ABERTO PARA NÃO-ASSINANTES: De aula de flamenco a safári, destinos e atrações chegam aos viajantes pelo computador de forma mais presente

Nathalia Molina, especial para o Estado

26 de abril de 2020 | 05h00

Passei dias negociando comigo. Estou fora de forma, e 20 anos e uma fibromialgia me separam daquelas tacadas de iniciante. No entanto, desde que soube da aula com uma professora de Sevilha, na Espanha, a ideia martelava. Aquilo tinha mexido com um antigo sonho de fazer intercâmbio de espanhol com flamenco na Andaluzia.

Meus planos mudaram. O futuro, afinal, é imprevisível (embora nada fosse tão inimaginável quanto a pandemia de covid-19). Criei coragem e marquei a experiência no Airbnb.

“Tem oito anos que dou aula para iniciantes. Ensino flamenco a muitos viajantes aqui em Sevilha. Agora, tive de me reinventar”, explicou a espanhola Eva. Muita diferença? “A distância, falo mais para manter a comunicação e explicar os passos.”

Durante a aula, Eva se aproximou e se afastou da tela para demonstrar os movimentos. Para que eu aprendesse o rocambolesco girar dos punhos, típico da dança flamenca, ela se sentou e manteve as mãos bem próximas à minha visão.

Aprender com Eva a arte espanhola, Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade desde 2010, custa a partir de R$ 61 por pessoa. É uma das muitas experiências online, disponíveis desde 9 de abril, saída encontrada pelo Airbnb para apoiar os anfitriões durante a pandemia. É possível cozinhar com uma família marroquina (desde R$ 74) de Marrakesh ou fazer exercícios com um acrobata do Cirque du Soleil de Las Vegas (a partir de R$ 46). E que tal uma meditação guiada com ovelhas sonolentas (desde R$ 70) em um celeiro na Escócia?

Amanda Ras não foi tão longe na escolha, mas imaginou que a meditação mindfulness (a partir de R$ 49) com a mexicana Ana traria um sono melhor. “Ela me explicou muito bem cada técnica. Vou usar hoje à noite”, contou a tatuadora, conhecida como Mandy, depois da prática na sexta-feira. “Fiquei com vontade de conhecer onde ela mora (Playa del Carmen) e de fazer meditações na praia.”

Mandy conta que se sentiu melhor depois da meditação. “Ando super ansiosa, sem trabalho e em casa sozinha, então me ajudou conversar com alguém e porque a técnica acalma. Fiquei muito mais concentrada.”

Cultura online

Museus também estão indo além em suas visitas virtuais. Na Inglaterra, o Hastings Contemporary usa uma espécie de robô para conduzir visitas à distância. Já o Museu Canadense dos Direitos Humanos, na canadense Winnipeg, investiu em uma experiência diferente. Os vídeos de Explore the Museum from Home, com duração de 5 a 20 minutos, são comandados por guias da instituição, que recebem o internauta como em uma visita guiada presencial.

No tour de apresentação do museu, o visitante conhece as características arquitetônicas do edifício projetado por Antoine Predock tendo a paisagem do Canadá como inspiração. Em outro vídeo, viaja pelo elevador de vidro até o sétimo andar para ter uma visão panorâmica de Winnipeg. Para uma experiência mais completa, vale baixar o app da instituição.

Uma experiência diferente da que se pode ter no Museu Reina Sofia, em Madri. Seu principal ícone, o quadro Guernica, de Picasso, pode ser apreciado em gigapixels na exibição virtual Repensar Guernica. Além de detalhes da obra-prima de 7,76 metros por 3,49 metros sobre a Guerra Civil Espanhola – dá para se aproximar e ver as pinceladas de perto –, a mostra reúne 2 mil documentos.

Grandes cidades

Mas e a saudade que bate de andar pelas ruas de grandes destinos? Pode ser aplacada em passeios virtuais, com narração (em inglês), no You Visit. É possível, por exemplo, explorar a Cidade do Vaticano em 360°, com um guia que te leva por áreas distintas, como a Praça São Pedro ou a Capela Sistina. Esse é estático, mas há opções mais realistas, como a volta de helicóptero sobre Nova York, em vídeo. Você decola e tem uma visão 360 graus onde vê inclusive o piloto e seus companheiros de passeio.

Muitas empresas e órgãos de turismo vêm lançando vídeos durante a quarentena. Mas alguns são mais criativos no modo de trazer o destino até o viajante. Chamada de Discover Germany From Home (Descubra a Alemanha de Casa), a iniciativa da Alemanha no Facebook inclui o game German Castle Adventure, previsto para ser lançado nos próximos meses para brasileiros. O jogador serve de guia pelo Castelo de Hohenzollern, perto de Stuttgart. Em países da Europa, na Austrália e nos Estados Unidos, a brincadeira já alcançou 23 mil usuários.

Na Flórida, a Universal Orlando lançou a ação #UniversalatHome para oferecer um gostinho do parque temático, com playlist no Spotify e receitas no blog.universalorlando.com. Dá para reproduzir o milkshake multicolorido com confetes do Toothsome Chocolate Emporium & Savory Feast Kitchen, restaurante do City Walk, o centrinho comercial dos parques.

Por falar em sabores, algumas vinícolas vêm dado um jeitinho para se aproximar dos turistas enquanto eles não podem estar lá presencialmente. A Concha Y Toro no Brasil preparou um interessante curso sobre vinho para iniciantes com o sommelier Gianni Tartari. Da história da bebida à forma correta de abrir uma garrafa de champanhe, você aprende (e testa) fundamentos em casa para sorver melhor o próximo tour com degustação, seja na vinícola na região metropolitana de Santiago ou em outra área de vinhedo pelo mundo.

Outra opção, que exige mais planejamento, são as degustações virtuais, como as que a colunista Suzana Barelli, do Paladar, participou.

Safári e balé

E que tal fazer um safári sem sair de casa? O Ulusaba Safari Lodge, luxuoso refúgio da Virgin Limited Edition na África do Sul, vem realizando o #SofaSafari. A expedição é transmitida ao vivo pelo Instagram @VirginLimitedEdition às segundas-feiras, às 11 horas (horário de Brasília), até 15 de maio) e mantida no IGTV do perfil.

Também dá para sentar na primeira fila em apresentações ao vivo. O Balé Bolshoi, por exemplo, usa o YouTube para transmitir em tempo real, diretamente de Moscou, as apresentações de um dos mais renomados corpos de baile do mundo. Don Quixote, por exemplo, será transmitida em 7 de maio, às 13 horas. Os espetáculos ficam disponíveis por 24 horas.

Na mesma rede social, a Royal Opera House, casa da Royal Opera e do Royal Ballet, transmite ao vivo de Londres, toda sexta, às 15 horas, espetáculos que ainda podem ser vistos na playlist #OurHousetoYourHouse. Inicialmente, a temporada virtual iria até 1º de maio, com o balé O Conto de Inverno, mas a ópera La Traviata já foi anunciada para 8 de maio.

Tours de 360°

Muito usado para visitar acervos pelo computador, o Google Arts & Culture sugere que o internauta confira uma lista dos 10 melhores museus do mundo – entre eles, nosso Museu de Arte de São Paulo (Masp). Mas se engana quem pensa que a ferramenta se limita a instituições culturais. Também é válida para quem busca, por exemplo, um passeio virtual por campos de lavanda na francesa Provença, por segredos dos parques nacionais dos Estados Unidos ou por murais de Banksy em Londres e Bristol, na Inglaterra.

Tours em 360°, aliás, são a grande sensação quando o assunto é viagem virtual. São incontáveis as experiências, que abraçam viajantes bem distintos, tanto fãs de futebol em busca de visitar estádios alemães quanto apreciadores, religiosos ou não, da Capela Sistina. Apesar de meramente contemplativa, essa experiência virtual permite apreciar a obra-prima de Michelangelo vazia e silenciosa – algo impossível quando as visitações ao Museu do Vaticano estão abertas.

Os tours virtuais da República Checa são tão imersivos que o site virtualczech.cz é todo em checo – nada que um Google Tradutor não resolva para você dar uma voltinha na neve de Praga. Dica: busque por ‘Praha’ para ver lugares da capital do país. A República Checa oferece tours virtuais por 12 de suas principais cidades declaradas Patrimônio Mundial – da lindinha medieval Cesky Krumlov à monumental Praga, ambas na lista da Unesco desde 1992.

O Castelo de Praga conta com tour virtual próprio, assim como várias construções históricas pelo mundo. O Palácio de Buckingham tem visita online pela sala do trono, escadaria e outras áreas da residência oficial da rainha Elizabeth. Outro edifício da realeza, o Castelo de Windsor também oferece um passeio por computador pelo salão de banquetes, com aquela mesa enorme na qual cada convidado recebe uma meia dúzia de taças.

De estilos arquitetônicos diferentes, a Casa Batlló e a Sagrada Família também levam o viajante virtualmente à Barcelona de Antoni Gaudí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.