Victoria Peak e Ilha de Lantau. Para visitar com ou sem fog

Sim, dependendo da época do ano, uma neblina espessa cobre o território e deixa cinza a paisagem

O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2010 | 01h33

      

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dependendo da época em que você visitar Hong Kong, vai entender por que os ingleses se sentiram em casa por lá. Especialmente no inverno (dezembro a março), a forte umidade traz uma nebulosidade espessa, tal qual o fog londrino, que pode se manter sobre a região durante toda a viagem. Nesse caso, você terá de abrir mão de alguns passeios - ou, ao menos, descobrir formas alternativas de aproveitar essas atrações.

Um dos programas tradicionais de Hong Kong é subir ao Victoria Peak (thepeak.com.hk), a 552 metros de altitude. O belo parque proporciona a vista de todo o território - para chegar ao topo, a maneira mais divertida é encarar o Peak Tram, trenzinho cuja primeira versão foi construída em 1888.

Com o dia nublado, no entanto, o passeio vale apenas pela curiosidade. Além do trenzinho e de uma volta rápida pelo parque (às vezes, sob chuva), você só vai conseguir rodar pelo shopping instalado ali, que conta com uma unidade do museu de cera Madame Tussauds.

O mau tempo também pode comprometer um pouco a ida ao buda gigante do Po Lin Monastério (np360.com.hk), na Ilha de Lantau. Desde Kowloon, são aproximadamente 40 minutos de metrô - você desembarca praticamente dentro da bilheteria do teleférico que leva ao parque. Compre antecipadamente pela internet para evitar filas.

Ao desembarcar do teleférico, os visitantes se deparam com um vilarejo turístico, repleto de lojinhas e restaurantes. Depois, é preciso encarar exatos 268 degraus até a bela estátua, construída em 2003.

 

 

 

 

 

   

                                     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Religiosidade. Reflexo da forte religiosidade presente em Hong Kong, cerca de 600 templos de budismo e taoismo se espalham pelo território. Um deles é o Sik Sik Yuen Wong Tai Sin Temple, erguido em 1915 e com mais de 18 mil metros quadrados. Dentro da área, há diferentes salas de oração. O costume manda oferecer incenso aos deuses, como forma de agradecimento.

Se preferir um ambiente mais tranquilo, o Man Mo Temple tem uma atmosfera simples e, ao mesmo tempo, rica em detalhes. Você pode fazer a visita no mesmo dia em que for ao Victoria Peak.

 

 

Saiba mais:

Idioma: o oficial é o cantonês, mas quase todos falam inglês. As placas das ruas e do metrô também estão escritas nas duas línguas, o que facilita bastante a vida do viajante independente

Moeda: 1 dólar de Hong Kong vale R$ 0,22

Visto: brasileiros não precisam de visto para permanência de até 90 dias

 

 

 

 

 

Veja também:

link Ásia para iniciantes

link Nas lojas, a lei do muito por pouco

link O Museu da Salsicha e outras extravagâncias

link 10 razões para marcar aquela visita a Inhotim

blog Blog do Viagem

Mais conteúdo sobre:
victoria peak landau asia hong kong viagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.