Visto para os EUA sem pegadinhas? Pergunte-me como

Nossa repórter passou por todo o processo e conferiu que os trâmites estão mais rápidos, mas filas exigem paciência

BRUNA TIUSSU, O Estado de S.Paulo

15 Janeiro 2013 | 02h10

Se a intenção era colocar o visto na mão do turista em menos tempo, ela foi alcançada. Com as novas medidas adotadas pelo Consulado dos Estados Unidos desde abril de 2011, ficou mais rápido agendar a entrevista obrigatória - havia horários vagos no dia seguinte ao que dei entrada ao meu pedido, em dezembro. E, depois dela, o passaporte com o visto (caso concedido, claro) fica disponível para ser recolhido em cinco dias úteis.

Mas, apesar de dividirem em mais etapas o passo a passo da solicitação do documento, as medidas não acabaram com as tradicionais filas, ainda causam dúvidas e, na falta de informação, gastos não esperados. Para evitar aborrecimentos quando for a sua vez, siga algumas dicas:

Formulário

Como fazer. Os primeiros passos para o pedido do visto continuam os mesmos: preencher, em inglês, o formulário DS-160 no site usvisa-info.com, imprimir e pagar o boleto da taxa de US$ 160. Feito isso, há de voltar ao site para agendar não só a entrevista no consulado, mas agora também uma data anterior a ela para ir a um dos Centros de Atendimento ao Solicitante de Visto (Casv).

Alerta. O preenchimento correto do formulário não garante o visto, mas informações erradas podem fazer com que ele seja negado. Responda tudo com atenção.

Dica. É muito difícil conseguir anexar uma foto digital que atenda às exigências do formulário. Tente uma, duas vezes e, se não der certo, pule esta etapa. Você não será prejudicado, pois além de tirar uma fotografia digital no Casv, terá de levar uma 5X5 no dia da entrevista.

Foto e impressão digital

Como fazer. Etapa nova no processo, é na visita ao Casv que você vai tirar foto e registrar as impressões digitais. Agende no que for mais perto de você: além de São Paulo (com unidades na Vila Mariana e Alto de Pinheiros), Rio, Brasília, Recife e Belo Horizonte possuem um centro - como a data da ida ao Casv não pode ser a mesma da entrevista no Consulado, solicitantes de outras cidades saem prejudicados. Na minha vez, gastei 50 minutos lá.

Alerta. Não é permitido entrar com bolsa feminina - celulares desligados são aceitos - e o solicitante deve apresentar na porta passaporte e comprovante de agendamento impresso. No dia da minha visita à unidade da Vila Mariana, aqueles que esqueceram o papel podiam imprimi-lo no galpão ao lado pela bagatela de R$ 30. Sim, por duas folhinhas.

Dica. Não adianta chegar lá com muita antecedência. A entrada só é liberada para quem tem agendamento para aquele horário.

Entrevista

Como fazer. É realizada somente nas unidades do Consulado dos Estados Unidos, em São Paulo, Rio, Brasília ou Recife. Logo na entrada, é preciso apresentar passaporte, foto 5X5, papel de agendamento impresso e comprovante de pagamento da taxa. Além destes, você pode levar os documentos que acredite poder ajudar na entrevista - que não tem perguntas predeterminadas. Apesar das iniciativas para apressar o processo, esta etapa ainda é demorada: gastei 1h40. Ao final, ganhei um número de protocolo para retirar meu passaporte no prazo de cinco dias úteis.

Alerta. Diferentemente da regra do Casv, bolsa feminina é permitida ali, mas eletrônicos não. Caso precise guardar seus pertences, terá de desembolsar de R$ 5 a R$ 10 por um guarda-volumes nos estabelecimentos ao redor. Também vale ressaltar que, na minha vez, idosos e gestantes não tinham preferência e encaravam a mesma fila que todo mundo.

Dica. Agora, sim, seguindo a mesma regra do Casv, a entrada é liberada de acordo com os horários agendados.

Retirada

Como fazer. Como não há mais entrega de passaporte via Sedex, o documento deve ser retirado no consulado - e somente lá, mesmo que o site ainda dê como opção um Casv, desconsidere -, na data e horário informados após sua entrevista.

Alerta. Nem bolsa feminina, nem eletrônicos e nem mesmo jaquetas. Neste dia, a entrada é permitida apenas com RG e o papel com o número do protocolo. Na minha vez, questionei a exigência e o funcionário, em vez de responder, estendeu a poucos centímetros do meu rosto uma folha de papel com as instruções da retirada do visto, onde as restrições apreciam em negrito - contrariando a conduta de outros monitores, todos educados. Como mostrei a ele depois, a folha que eu havia ganho com orientações de retirada do visto deveria ser igual a dele, mas não era: não possuía nem uma linha sequer com tais informações.

Dica. A retirada é feita num período determinado do dia, das 14 às 16 horas, e, só neste caso, vale chegar cedo. Dessa vez, idosos e gestantes tiveram prioridade, formando uma fila paralela. Entre filas e atendimento, meu tempo gasto ali foi de 35 minutos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.