Você no palco de grandes decisões

Casa Branca e Capitólio estão entre as paradas obrigatórias, mas tours precisam ser agendados

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

20 Janeiro 2009 | 02h15

O medo de atentados, o excesso de turistas e a posse de Barack Obama transformam em aventura a visita à Casa Branca. Os quarteirões próximos ao local mais vigiado e observado do mundo estão bloqueados. A polícia se mostra presente de forma ostensiva. Ultrapassar barreiras, mesmo que seja a pé e acompanhado de crianças, valerá uma bronca.   Veja também: Washington vive momentos de euforia. Na política e no turismo Acervos inacreditáveis - e gratuitos Diversão também para as crianças Para brincar de espião, policial ou jornalista por um dia Três bairros concentram o agito Grifes e souvenirs para lotar a mala  Em Chicago, o lar do presidente  Tour para ver a vovó famosa  E é bom saber que o passeio precisa ser reservado com bastante antecedência. Tours guiados só estão disponíveis a partir de junho. Se você não achar as explicações tão imprescindíveis assim, a autorização para a entrada pode sair em 30 dias. As visitas ocorrem de terça a sexta-feira, das 7h30 a 12h30.   Nova casa de Obama e sede do Congresso têm visitas gratuitas e esquema de segurança reforçado   Obtido o direito de entrar na residência oficial dos presidentes americanos, esqueça câmeras fotográficas, filmadoras, sacolas e mochilas. Nada disso pode estar na Casa Branca. O melhor é levar apenas a carteira com documentos. O jardim Jacqueline Kennedy, a biblioteca, a sala de jantar de Thomas Jefferson, o local preferido de James Monroe e os salões onde as primeiras-damas recebem convidados são alguns cômodos incluídos nos tours. Para quem não conseguir entrar na lista de visitantes, uma boa alternativa é conhecer a Casa Branca virtualmente através do site do governo, que conta até com explicações de George W. Bush sobre os cômodos. Reforma No Capitólio é mais fácil. Ou melhor, ficou mais fácil no início de dezembro, depois da reforma na sede do Congresso Americano. Primeiro, os visitantes assistem a um filme de 15 minutos sobre a importância dos Estados Unidos. Em seguida, são divididos em grupos e começa a tour pelo... centro de visitantes. Isso mesmo, a área onde ocorrem as votações não são abertas ao público. Aos turistas são reservados três salões com estátuas dos personagens mais importantes da história dos Estados Unidos. Mas isso não quer dizer que o passeio não seja interessante. As alas liberadas são enormes - representam três quartos do o prédio. E se você não fez uma imagem sequer na Casa Branca, aproveite. No Congresso as câmeras são liberadas. O melhor registro, no entanto, você vai garantir mesmo do lado de fora do prédio. Afinal, apenas de tal ângulo pode-se ver o famoso domo feito de aço, inaugurado em 1866, 73 anos depois do início da construção do local. Os passeios pelo espaço ocorrem das 9 às 17 horas. Os bilhetes são garantidos com uma ligação para o centro de visitantes. É importante não ficar para a última turma. Se o guia se atrasar nas explicações, você corre o risco de ter de sair correndo do Capitólio: os seguranças cumprem o horário de forma rígida. Casa Branca: www.whitehouse.gov; tel.: (00--1-202) 456-7041. A entrada é gratuita Capitólio: www.visitthecapitol.gov; tel.: (00--1-202) 224-4048. Grátis

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.