Felipe Mortara/Estadão
Felipe Mortara/Estadão

Volterra: um dia e meio

Volterra é uma cidade bem pequena, com cerca de 3 mil anos desde a fundação e rica história. 

O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2017 | 04h57

À esquerda da rodoviária improvisada, um mirante tem vista belíssima para os campos da Toscana. À direita, andando pelas vielas milenares, chega-se à praça da prefeitura, à igreja e a um antigo castelo que, hoje, é usado como prisão de segurança máxima.

A cidade é conhecida por seu trabalho com o alabastro, um tipo de pedra usado para fabricar itens de decoração e joias. As lojas dos artesãos estão espalhadas por toda a cidade. É um privilégio poder vê-los transformar pedaços de pedra em obras de arte.

Termine o dia visitando o Teatro Romano de Volterra, ruínas que podem ser vistas de cima ou bem de perto, sem pagar ingresso.

Use Volterra como base para, no segundo dia, ir a San Gimignano e Monteriggioni. O Centro de Informações Turísticas vende as passagens, a € 3,20 para San Gimignano e € 3,85 para Monteriggioni. Depois das visitas, volte para dormir em Volterra ou siga diretamente para Siena. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.