Washington vive momentos de euforia. Na política e no turismo

Capital se preparou para a posse de Obama e montou atrações que estarão disponíveis também após a festa

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

20 Janeiro 2009 | 02h15

Os olhos do mundo estão voltados para Washington. E os nossos também. Em cada esquina da capital americana - seja em shoppings, restaurantes ou igrejas - a imagem mais marcante é a do presidente eleito Barack Obama, que assume o cargo às 10 horas (13 horas em Brasília). A cidade da Casa Branca, do Capitólio e dos museus mantidos pelo Instituto Smithsonian agora tem novo dono. E atrações turísticas montadas para o período da posse. Veja também: Você no palco de grandes decisões Acervos inacreditáveis - e gratuitos Diversão também para as crianças Para brincar de espião, policial ou jornalista por um dia Três bairros concentram o agito Grifes e souvenirs para lotar a mala  Em Chicago, o lar do presidente  Tour para ver a vovó famosa   A euforia pode ser notada logo no desembarque do Aeroporto de Dulles, a 40 minutos de carro de Washington. As típicas lojinhas de terminal, lotadas de guloseimas e souvenirs, exibem todos os produtos imagináveis com o rosto do 44º presidente americano estampado - algumas passaram a vender exclusivamente itens Obama.   Souvenir no Aeroporto de Dulles mostram o quanto a figura de Obama se tornou símbolo de esperança   As camisetas, por exemplo, custam de US$ 12 a US$ 25 (R$ 28 a R$ 58). E a mais cobiçada tem um toque familiar. Mostra Obama ao lado de sua mulher, Michelle, e das filhas Sasha e Malia. Para completar, o slogan "A mais nova primeira-família da América." Canecas saem por US$ 10 (R$ 23), o mesmo preço dos ímãs de geladeira. Casacos com capuz têm o preço de US$ 24 (R$ 56) - a promoção garante dois por US$ 40 (R$ 93). Com um detalhe: todos esses souvenirs custam mais barato se o presidente estiver acompanhado do vice, Joe Biden. Com 650 mil habitantes, Washington normalmente pode até se considerar pacata (alguns bairros são de uma quietude inabalável), apesar de se tratar da cidade mais importante do mundo. Mas não hoje, com as 4 milhões de pessoas de todas as nacionalidades reunidas para a posse. A previsão é de que 5 mil brasileiros estejam por lá somente nesta época - por ano, costumam ser 45 mil visitantes tupiniquins. Uma multidão que deve render à cidade "centenas de milhares de dólares", de acordo com o presidente da Destination DC, a Câmara de Turismo de Washington, Bill Hanbury. Também é dele a previsão de que este será o maior evento da cidade desde o enterro de Ronald Reagan, em 2004. Em novembro, já eram raríssimas as vagas em bons hotéis da capital para o período de 19 a 21 de janeiro. E os que têm localização privilegiada estavam absolutamente reservados. "O cortejo de Obama virá do Capitólio e vai até a Casa Branca. Ou seja: quem estiver aqui poderá ver todo o trajeto. De camarote", festejava Barbara Bahny-David, relações públicas do Willard Intercontinental Hotel, o mais antigo e tradicional de Washington, instalado na Avenida Pennsylvania desde 1901. Nas ruas, comentava-se que havia moradores alugando cômodos ou a casa inteira para visitantes por quantias entre US$ 100 e US$ 4 mil, respectivamente, por uma noite. Barbara considera exagero. Mas anúncios nos jornais comprovavam os aluguéis de quartos em residências de família. Eleito com 52% dos votos gerais, Obama recebeu 86% de aprovação em Washington. Os números são absolutos, mas é nas ruas que eles ganham realidade. O apoio ao novo presidente fica definitivamente claro quando se entra em um táxi. Quase todos os motoristas têm pelo menos um bonequinho ou um chaveiro do presidente. É certo que bares e restaurantes da capital costumam aproveitar a popularidade de seus moradores para turbinar o cardápio com pratos engraçadinhos. No Madam?s Organ (leia mais na página 11), mulheres que comprovarem ter namorado Bill Clinton têm US$ 1 de desconto no hambúrguer que leva o nome do ex-presidente. Qual será o prato da era Obama? Basta esperar para saber. Para ver Várias atrações montadas para a posse ficarão por mais tempo à disposição dos turistas que visitarem a cidade. É o caso da obra de Shepard Fairey que virou símbolo da campanha eleitoral de Obama. A colagem agora vai morar permanentemente na National Portrait Gallery, uma das 17 instituições mantidas pelo Instituto Smithsonian em Washington (2 outras ficam em Nova York). O quadro em azul, vermelho e branco, as cores da bandeira americana, mostra o rosto de Obama e traz, na parte de baixo, a palavra Hope (Esperança). A primeira versão da obra tinha como lema Progress (Progresso), mas, a pedido dos democratas, Fairey fez também Hope e Change (Mudança), temas da campanha de Obama. O quadro será mostrada ao público a partir de hoje. A mesma National Gallery vai abrir uma exposição um tanto quanto esquisita para o momento. Trata-se de Presidents in Waiting, com retratos de 14 vices que assumiram o governo americano - seja por causa da morte ou da renúncia do titular ou por terem, depois, concorrido e ganhado uma eleição presidencial. Enfim. Agouro à parte, a mostra segue até 2010. Cara de cera Está disponível para fotos a versão de cera do presidente (leia mais na página 8), na unidade do Madame Tussauds de Washington. O museu, aliás, fez bonecos Obama para instalar em Nova York, Londres, Berlim... A posse está aquecendo o turismo bem longe da capital. Caso de Chicago, a cidade que viu Obama ganhar fôlego político e onde vivia a família até poucas semanas. E da longínqua Kogelo, no Quênia, onde mora Mama Sarah, a primeira-vovó. Viagem feita a convite da Capital Region USA COMO IR Passagem aérea O trecho SP-Washington-SP custa a partir de US$ 1.066 na United Airlines (0--11-3145-4200). Voos com conexão por a partir de US$ 1.313 na Continental Airlines (0--11-2122-7500), US$ 1.749 na Delta (4003-2121), US$ 1.751 na TAM (4002-5700) e US$ 1.818 na American Airlines (0--11-4502-4000) Pacotes* US$ 1.166: 4 noites. Com traslados. Bon Voyage (0--11-3258- 6522). Válido até abril US$ 1.341: 5 noites. Taks Tour (0--11-2821-8800). Inclui traslados. Saídas até 28/2 US$ 1.359: 4 noites. Top Brasil (0--11-3926-8000). Com traslados e seguro viagem. Válido de 2/3 a 25/3 US$ 1.399: 7 noites, com café da manhã. Na Riviera (0--11-5533- 6889). Saída no dia 27 US$ 1.418: 3 noites. CIT (0--11-3138-3535). Traslados, city tour e seguro viagem. Válido até 24/7 US$ 1.435: 4 noites. Soft Travel (0--11-3017-9999). Com seguro viagem. Até 5/2 US$ 1.459: 4 noites. ADVtour (0--11-2167-0677). Inclui traslados e seguro viagem. Saídas de 1.º a 19/2 US$ 1.461: 5 noites. Apex (0--11-3722-3000). Inclui seguro viagem. Saídas em janeiro US$ 1.512: 4 noites. Abreutur (0--11-3702-1840). Até 1.º/3 US$ 1.533: 4 noites. Flot (0--11-4504-4544). Inclui seguro viagem. Saídas até 23/2 US$ 1.533: 4 noites. Sem Fronteiras (0--11-2091-3595). Inclui traslados. Até 23/2 US$ 1.549: 4 noites. Tia Augusta (0--11-3068-5111). Até 24/2 US$ 1.620: 4 noites. Alemar (0--11-3815-7585). Com traslados e seguro viagem. Até dia 31 US$ 1.637: 3 noites. Interpoint (0--11-3087-9400). Com café da manhã. Até o fim do mês US$ 1.661: 4 noites. Beeline (0--11-3171-1544). Inclui traslados e seguro viagem. Válido até dia 31 US$ 1.991: 4 noites. Tereza Ferrari (0--11-3021-1699). Inclui traslados e seguro viagem. Válido até 14/2 US$ 2.199: 5 noites. RCA (0--11-3017-8700). Inclui seguro viagem. Até o fim do mês. *Preço por pessoa em quarto duplo, com passagem aérea

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.