Em Lima por dois dias

Em Lima por dois dias

Paulina Chamorro

05 Maio 2017 | 09h20

Sou apaixonada pela capital do Peru. Seu território viveu a glória da cultura pré-incaica, dos incas, os impactos guerra do Pacífico e da modernidade e, depois de tudo isso, se reinventou para exaltar os devotos de sua gastronomia milenar.

Mesclando história, arte e gastronomia, passar alguns dias em Lima vale muito a pena, sim.

Destaquei 5 pontos imperdíveis num roteiro com muito boa comida e cultura e que pode ser feito em um final de semana.

Sábado –


Para um belo almoço tradicional vale conhecer a cevicheria Mi Barrunto. O cliente é atendido pelos donos, e ali é servida comida que o povo peruano consome todos os dias. São os três irmãos Sanches Aranda que se dividem em pesca e seleção dos ingredientes, preparo dos pratos e atendimento. O Mi Barrunto  fica em um bairro afastado do roteiro turístico convencional, em La Victoria. E não se assuste com o aspecto da vizinhança. Os donos contam que começaram o espaço apenas com uma portinha onde vendiam ceviches. Por ser perto do estádio de futebol (do Alianza Lima), e pelo delicioso aliño (tempero), o público cresceu a ponto de hoje servirem cerca de dois mil ceviches por dia no final de semana. Dois andares de pura gastronomia peruana. Servem todos os típicos pratos do país.

http://www.mibarrunto.com/

À tarde um passeio pelo clássico bairro de Miraflores.

Muito além do Larcomar, com seus restaurantes à beira-mar, as ruas do bairro abriga uma das livrarias mais completas do país. El Virrey.

Vale passar o tempo no espaço dedicado a literatura peruana. Na minha última visita terminei com uma sacola com 10 livros!

http://libreriaelvirreydelima.com/  Bolognesi 510, Miraflores Lima 18, Peru

Se ainda tiver pique, terminar a noite no Huaringas Bar, também no bairro e na mesma Rua Bolognesi. São 3 andares de um local inteiramente dedicado ao pisco. Degustações, drinks com frutas locais, tem centenas de rótulos para se acabar com a bebida tradicional do país. http://huaringas.com/

Domingo-

Acordar no dia seguinte e tomar um tazón de suco de frutas no mercado de San José, no bairro de Jesus Maria. A fruta do aguaymanto, bem cítrica, é a minha preferida.

Av República Dominicana, Jesús María 15072

É hora de ir conhecer o passado pré-hispânico de Lima. Como era a vida dos incas e pré-incas na região que hoje é a capital do país? O Museu Huaca Pucllana impressiona por guardar um grande conjunto arquitetônico, todo margeado por prédios modernos. O Museu agora abre para visitas à noite também. http://huacapucllanamiraflores.pe/

Para o almoço do segundo dia visite o La Mar, do premiado chef Gastón Acurio. Restaurante que servem os peixes do dia, com identificação logo na entrada das comunidades pesqueiras provenientes. Conversei há algum tempo com Gastón sobre sua relação com o mar e a importância para o Peru. veja aqui

Av Mariscal La Mar 770, Miraflores

Descanso caminhando por Barranco e a beira-mar do Pacifico.

Depois do passeio, o gran finale: jantar no AMAZ. Restaurante do chef Pedro Miguel Schiaffino, traz o melhor da ´comida de selva´, como é conhecida a comida da Amazônia. Esqueça açaí com peixe, tucupi ou farinha. A comida amazônica peruana é um pouco diferente da brasileira. Atenção especial para a salada de chonta,  ou conhecido por aqui como palmito pupunha. Nham!

http://amaz.com.pe/

Vias Alterlatinas no Spotify

Preparei uma playlist que também mescla o antigo e o moderno do Peru, com muita tradição e valorização da cultura. Na trilha Vias Alterlatinas do Spotify encontram Arturo `Zambo´ Cavero ( a voz do Peru) y Lucha Reyes, ambos símbolos de uma tradição em zambas y valsecitos de uma época linda, dos bares y de muito violão e letras de amores perdidos. Muitos destes sons foram revisitados por algumas bandas modernas, como os chilenos do Chico Trujillo. Também encontram dama Susana Baca, responsável pela valorização e resgate dos sons afroperuanos. Y pa moverse, separei do Cumbia All Stars os Tigres en Fuga.

Divirtam-se!