Divulgação
Divulgação

Cartago merece ser vista de camarote

Noo Vulcão Irazú ou no Vale Orosí, província tem belezas para admirar das alturas

O Estado de S.Paulo

05 Julho 2016 | 00h54

Aos pés do Parque Nacional Tapantí, o Vale do Orosí, na província de Cartago, tem o formato de um anfiteatro, com vilazinhas urbanas acomodadas no que seriam as arquibancadas. Graças a essa topografia, aqui não existe vista sem graça. Só em Ujarrás são dois mirantes bem estruturados, com parquinho infantil e quiosques para piquenique. 

Algumas hospedagens também fazem esse papel de camarote. O lodge El Salto está de frente para a cachoeira de mesmo nome, com 200 metros de altura, que também pode ser vista desde a rodovia desativada – culpa de um deslizamento de terra – onde está o portão da hospedagem. Moradores e visitantes usam a rodovia para correr e caminhar. A diária no lodge começa em US$ 57 para dois, com café.

Em outro terreno contíguo à estrada desativada e que se estende encosta acima, o Riconcito Verde é um cama&café dos mais charmosos. Os proprietários vivem ali. Recebem hóspedes literalmente em casa, em quartos espaçosos com duas camas de casal e minicozinha, e estrategicamente servem o café da manhã (incluído) na varanda (desde US$ 53 para dois). 

Ujarrás guarda as ruínas da igreja mais antiga da Costa Rica, construída entre 1575 e 1580 e consagrada a Nossa Senhora Imaculada Conceição, por causa de uma imagem da Virgem que teria sido encontrada naquele ponto. Cercadas por um jardim bem cuidado, as ruínas fazem parte de um complexo usado pelos moradores para o churrasco de domingo. 

Junto com outras três cidadezinhas, Paraíso, Cachí e Orosi, Ujarrás integra a Rota da Água, criada pelos pequenos empreendedores do turismo da região para promover em conjunto seus atrativos naturais, históricos e culturais. Ao longo da planície do Río Orosí e pelas montanhas das cercanias é possível fazer caminhadas, pedalar, cavalgar, tomar banho de cachoeira e de rio. As hospedagens indicam passeios e, na margem do Lago Cachí, há um parque de aventuras, o Charrarra, com ingressos a US$ 8,50. Atividades são pagas à parte: US$ 6 pelo passeio de barco, US$ 10 pelo aluguel do caiaque, US$ 23 pelo combo barco mais almoço. 

Conservação. As áreas de conservação da Costa Rica estão reunidas em dez grandes conjuntos (veja em sinac.go.cr). O parque Tapantí integra o grupo La Amistad Pacífico, com altitudes entre 700 e 3.400 metros, lar de 45 espécies de mamíferos e uma das zonas mais chuvosas do mundo, com 7 mil milímetros por ano que dão origem a mais de 150 rios. Enquanto eu percorria a mais fácil entre as quatro trilhas do parque, com 1,2 quilômetro de extensão, despencou um toró que a capa de chuva não foi capaz de barrar. 

Quer mais dicas para ir à Costa Rica? 

O vulcão mais alto da Costa Rica fica na província de Cartago. Irazú tem 3.432 metros de altitude e uma infraestrutura que permite subir de carro até quase a boca da cratera principal – que tem 1.050 metros de diâmetro e 300 de profundidade. 

Durante a vertiginosa subida pela encosta do cone vulcânico, a cidade de Cartago vai ficando lá embaixo e o carro entra pelas nuvens para, então, ultrapassá-las. Mais uma paisagem característica dessa Costa Rica rural e dada à contemplação. 

Leia mais: Para quem gosta mesmo é de glamour, o crème do crème do luxo no mundo

Mais conteúdo sobre:
Costa Rica

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.