Adriana Monteiro
Adriana Monteiro

É tempo de primavera: 10 destinos para curtir a estação do ano

Selecionamos cidades próximas a São Paulo, que cabem em um bate-volta ou fim de semana, e outros destinos brasileiros que se enchem de cor na estação

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2019 | 07h00

Quem gosta de flores, plantas e destinos de natureza provavelmente é também um apaixonado pela primavera. Com temperaturas mais amenas e cenários coloridos pelo desabrochar das flores, a estação do ano, que começa oficialmente nesta segunda, convida a atividades ao ar livre e é motivo de festas e feiras por todo o País desde o início de setembro.

Para você aproveitar cada dia de sua passagem, que vai até 22 de dezembro esre ano, selecionamos cinco destinos no Estado de São Paulo e outros cinco no resto do Brasil que são perfeitos para visitar e desbravar durante a primavera. 

​EM SÃO PAULO

Holambra

É o clássico que nunca sai de moda. A quase 2 horas da capital paulista, a cidade carrega com orgulho as lembranças do tempo em que cerca de 500 imigrantes holandeses se instalaram ali, logo após a Segunda Guerra. O resultado dessa influência holandesa, presente na arquitetura e na cultura da cidade (que tem até um moinho), vive o auge turístico na primavera, quando ocorre a ExpoFlora, evento que reúne produtores e compradores de flores para diversas finalidades, além de comidas e danças típicas. Este ano, a feira vai até 29 de setembro - confira 5 experiências para viver a festa na cidade em bit.ly/5expoflora. Depois dessa data, a cidade ainda está florida e, para quem busca mais tranquilidade, pode ficar mais interessante.

Cunha

A distância a partir de São Paulo é de três horas. Um tempo que se dilui na contemplação do próprio caminho até a cidade, cenográfico, repleto de colinas e de histórias do período colonial. Famosa por suas cerâmicas e campos de lavanda, floridos o ano todo e ainda mais plenos durante a primavera - para vê-los, vá aos fins de semana ao Lavandário e/ou ao Contemplário -, Cunha ainda permite um bate-volta até Paraty e trilhas com cachoeiras no Parque Estadual da Serra do Mar.  Mais dicas para um fim de semana no destino em bit.ly/florescunha

Atibaia

Se o objetivo for perder pouco tempo com deslocamento, a cidade a 1 hora de São Paulo é ótima tanto para um bate-volta quanto para um fim de semana. Seus cenários floridos podem ser vistos em lugares como o Parque Edmundo Zanoni, no centro, onde, além das construções históricas e igrejas, também há um teleférico que percorre 550 metros e permite uma bela vista da cidade e da Serra do Itapetinga. É na serra, aliás, que está o cartão-postal de Atibaia, a Pedra Grande, com 1,46 metros de altitude e que pode ser subida por trilha, escalando ou de carro. Já para descer, muitos preferem a asa-delta ou o parapente. E até este domingo, dia 22 de setembro, rola por lá a 39ª Festa Flores e Morangos (bit.ly/atibaiafem).  

Cotia

Provavelmente você já passou por essa cidade com direção a alguma outra. A apenas 30 quilômetros do centro da capital, Cotia é a casa de dois templos budistas, o famoso Zu Lai e o tibetano Chagdud Gonpa Odsal Ling. Ou seja, dois ambientes de paz e que, durante a estação florida do ano, guardam paisagens ainda mais bonitas com seus jardins vistosos e esculturas. É possível visitá-los mesmo sem seguir a filosofia de vida budista e, sobretudo no primeiro, há diversas atividades culturais e celebrações abertas ao público.

LEIA MAIS - Viajar de ônibus: vale a pena substituir o avião?

Campos do Jordão

O verde da Serra da Mantiqueira é de uma beleza singular durante a primavera e as flores dão mais cor à cidade a 3 horas de São Paulo. Fora do inverno, altíssima temporada em Campos, seus pontos turísticos ficam mais vazios e os preços das hospedagens são mais atrativos. Isso sem falar do clima, mais ameno, ideal para atividades ao ar livre - experimente andar no teleférico aos pés do Morro do Elefante e nos pedalinhos do lago, ambos no Parque Capivari. Além das jardineiras que tomam conta do comércio e das ruas do centro, visite o Amantikir, parque privado de 60 mil metros quadrados com mais de 700 espécies de plantas dispostas em 26 jardins diferentes: com suculentas, cactos, orientais, em labirinto. O período é ideal ainda para o espaço de educação ambiental e observação Borboletário Flores que Voam e o Horto Florestal

EM OUTROS ESTADOS

Joinville (SC)

Entre Curitiba e Florianópolis, a cidade construída por imigrantes alemães, suíços e portugueses e produtora de plantas ornamentais e orquídeas mescla em sua paisagem exemplares da arquitetura enxaimel (casas feitas com madeira) e jardins extremamente floridos, principalmente em novembro, quando seus ipês amarelos formam verdadeiros tapetes nas ruas. É também em novembro que ocorre a tradicional Festa das Flores, com concursos, exposições de orquídeas, oficinas de cultivo, mercado de plantas e atrações culturais e gastronômicas - em 2019 chega à 81ª edição e vai do dia 12 ao dia 17. Por lá, visite o Mirante do Morro Boa Vista para ver toda a cidade; o Museu Nacional da Imigração e Colonização (MNIC); a Escola do Teatro Bolshoi, única unidade da famosa escola de dança fora da Rússia; o Museu de Arte, com um belo jardim; e, claro, os campos de flores do Agrícola da Ilha, que, além de vender plantas, administra o Parque das Hemerocallis - hemerocallis é o lírio-de-um-dia. 

Nova Petrópolis (RS)

Ainda dá tempo de conferir a 9ª edição do Festival da Primavera (Fruhlingsfest em alemão) da cidade de ares europeus, a 1h30 de Porto Alegre e conhecida também como “Jardim da Serra Gaúcha”. Até 29 de setembro, o visitante poderá conferir concurso de fotografias, parada das flores, visitar jardins urbanos e rurais e participar de oficinas gastronômicas de flores comestíveis. Complete o roteiro primaveril com ao menos uma refeição colonial alemã; ida ao Parque Aldeia do Imigrante; compra de malhas na Avenida 15 de Novembro; e subida ao Mirante Ninho das Águias, onde os mais aventureiros ainda podem saltar de parapente.

Pirenópolis (GO)

Em Goiás, a cidade está a 2 horas de Goiânia e a 2h20 de Brasília e é convidativa o ano todo. Para quem quer cachoeira e pouca chuva, de maio a julho é a temporada perfeita. Mas, no cerrado, a época da seca, ou seja, da primavera, é igualmente especial: os campos ficam super floridos e o pôr do sol é mais imponente. Assim, não deixe de subir o Pico do Pirineus no finzinho da tarde para se despedir do dia e, se as temperaturas forem favoráveis e o rio estiver cheio, o banho pode ser no Rio das Almas, no centro da cidade, tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e um charme só, com casinhas coloridas, calçadas de pedra, igrejas do século 18.  Confira mais sobre a história da cidade e o que fazer por lá: bit.ly/roteiropire

Foz do Iguaçu (PR)

Visitar as Cataratas do Iguaçu, no Paraná, entre outubro e março, ou seja, entre primavera e verão, é presenciar a natureza em seu momento mais ativo, digamos. Com as chuvas mais intensas nessa época, as cachoeiras ganham mais força - e, em alguns momentos, até as comportas de Itaipu são abertas. Além do mais, com as temperaturas na casa dos 30 graus, não é nada mal se molhar com os respingos inevitáveis das quedas d’água durante o passeio. Tudo está mais verde na temporada de flores e milhares de borboletas surgem para fazer companhia aos turistas. Em meio ao espetáculo natural, planeje conhecer outras muitas atrações da cidade, como bares de gelo, o Vale dos Dinossauros, o Templo Budista, o Marco das Três Fronteiras, o lado argentino das Cataratas e a própria Usina de Itaipu.  

LEIA MAIS - O que já sabemos sobre a temporada de cruzeiros 2020/2021

Salvador (BA)

Este não é o destino que se espera encontrar num roteiro dedicado à primavera. Mas, entre setembro e novembro, a capital da Bahia aproveita para curtir a estação das flores com mais tranquilidade enquanto aguarda o agito do verão. E o melhor: o tempo já está mais firme e dá até para curtir praia com mais sossego. Até 29 de setembro, o centro histórico e os bairros do Comércio, Rio Vermelho e Dique do Tororó, entre outros, recebem atrações do Festival da Primavera. Há teatro, esporte, feiras de rua, lazer para crianças e shows gratuitos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.